Paracetamol pode diminuir dor emocional e rejeição social

Medicação, Psiquiatria

Dores físicas e emocionais já foram temas aqui no blog. Mas será que estamos acostumados a tomar remédio para dores emocionais tanto quanto para dores físicas? Uma pesquisa recente mostra que, para os dois casos, o paracetamol pode funcionar. 

Pesquisadores da Universidade de Kentucky (EUA) observaram, por alguns anos, a relação entre as dores física e emocional, usando técnicas dinâmicas de imagem cerebral. Em um dos experimentos, eles buscaram saber se o paracetamol seria efetivo para minimizar a dor social ou emocional.

Experimentos com paracetamol

Os pesquisadores realizaram dois experimentos. No primeiro, levaram 62 voluntários saudáveis, que foram divididos aleatoriamente em dois grupos. Durante três semanas, um grupo tomou 1000 miligramas de paracetamol por dia. O outro grupo tomou um placebo (pílula idêntica, mas sem medicação ativa).

Todas as noites, os participantes preencheram um questionário que mediu a quantidade de dor emocional ou rejeição social que experimentaram naquele dia. No final do estudo, o grupo que tomou o paracetamol apresentou uma taxa estatisticamente menor de rejeição social do que o grupo que tomou o placebo.

Paracetamol altera a varredura cerebral

Em um segundo experimento, os pesquisadores realizaram exames de ressonância magnética funcional em pessoas que tomaram esse medicamento antes de jogar um jogo de computador que as deixava intencionalmente com um sentimento de rejeição social (um “jogo de cartas marcadas”).

Os resultados do estudo mostraram que a rejeição social aumentou a atividade nas mesmas partes do cérebro que são estimuladas com a dor física (o cingulado anterior dorsal e a ínsula anterior). Isso demonstra que nosso cérebro pode sofrer dor física e dor social de maneira semelhante – e que a dor social realmente é como uma dor física.

Além disso, o experimento mostrou que os participantes que tomaram paracetamol tiveram menor estimulação nessas áreas do cérebro. Isso mostra novamente que esse medicamento diminui a dor da rejeição social (uma dor emocional).

Efeitos diferentes em pessoas diferentes

Outros pesquisadores mostraram que o paracetamol pode ter efeitos ligeiramente diferentes em nosso estado mental. Um estudo realizado em 2015 mostrou que o medicamento reduz tanto os pontos altos quanto os pontos baixos emocionais. Ou seja, o grupo que participou deste experimento com paracetamol teve as emoções “amortecidas” e niveladas, sem demostrar extremos nem para alegria nem para tristeza.

Outro experimento, publicado em Social Cognitive and Affective Neuroscience, mostrou que as pessoas que tomavam paracetamol ficavam menos incomodadas quando cometiam erros enquanto trabalhavam em várias tarefas no computador.

Devo usar o paracetamol?

Diante desses resultados, o melhor é decidir por si mesmo se os efeitos da medicação são vantajosos ou não. Em alguns casos, o efeito pode ser útil, mas em outras situações, não tanto. Por exemplo, pode não ser bom se você estiver falando com seu parceiro e parecer menos interessado ou envolvido.

Observe que as mudanças mentais dessa medicação não são enormes, mas sutis. Você teria que ver por si mesmo o efeito. Se você tentar utilizar para diminuir a dor social, saiba que o paracetamol não é uma medicação totalmente inofensiva.

Lembre-se sempre do efeito colateral principal: se você tomar muito paracetamol ou por muito tempo, ou quando combinado com álcool, ele pode danificar o fígado. Nesta publicação, demos mais detalhes sobre doses e precauções.

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Cuidados ao tomar paracetamol

Cuidados com o Tylenol durante a gravidez

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Médicos recomendados

Estes são alguns médicos recomendados na ProcuraMed.

VEJA MAIS MÉDICOS