Vacinas: como homens e mulheres reagem

Vacinas: como homens e mulheres reagem de forma diferente

Doenças, Mais Saúde Woman,

A maioria das pessoas fica surpresa ao saber que homens e mulheres podem reagir de formas diferentes às vacinas. Estamos vivendo a maior experiência de vacinação de nossas vidas, então é um bom momento para entender melhor essas questões de gênero.

Reações da vacina contra a COVID-19

Como todas as intervenções médicas, as vacinações têm possíveis efeitos colaterais. A maioria, porém, é leve e temporária. Para as vacinas contra a COVID-19, os efeitos colaterais em homens e mulheres incluem vermelhidão, inchaço ou dor na região do local da vacinação. Também é possível haver sintomas mais generalizados, como dor de cabeça ou musculares, fadiga e até febre e calafrios. Mas, em quase todos os casos, esses sintomas desaparecem após um ou dois dias.

[Leia também na ProcuraMed: Nova moda da proteção, duas máscaras contra o COVID-19]

Apresentar alguma reação é um bom sinal

Você pode pensar que os efeitos colaterais são uma coisa ruim. Mas, na verdade, na maioria dos casos, é um bom sinal. Esses sintomas mostram que seu corpo está desenvolvendo uma resposta imunológica à vacina, o que significa que em breve você terá anticorpos e células T para lutar contra o invasor viral se seu corpo o encontrar novamente. Quando a vacina que você toma exige duas doses, sua reação pode ser maior após a segunda injeção.

Raramente, as reações são graves

Muito raramente, as pessoas vacinadas têm o que é chamado de reação anafilática, que é uma reação alérgica grave com risco de morte. Isso é muito incomum, em torno de 11 casos por milhão de injeções (para uma vacina estudada, como o caso da vacina da Pfizer contra a COVID-19). Esse tipo de reação pode ser até fatal se não tratada, e geralmente ocorre dentro de 15 minutos após a aplicação. Se essa reação ocorrer, ela é tratável com uma injeção de epinefrina e outros medicamentos.

A chance de uma pessoa morrer de uma reação alérgica grave causada por uma vacina é muito pequena – o risco de morrer em um acidente de carro no caminho para a vacinação é muito maior! Ainda assim, é uma boa ideia ficar perto de um médico competente, que pode tratar uma possível reação alérgica, nos primeiros 15 a 30 minutos após a aplicação.

Risco geral

Existem riscos de reações adversas graves a qualquer vacinação, inclusive contra o novo coronavírus. Mas o risco de morrer de COVID-19, se você não foi vacinado, é muito maior do que o risco de morrer por um efeito colateral da vacinação.

Mulheres têm mais reações

Curiosamente, as mulheres são muito mais propensas a relatar reações locais, bem como sofrer as reações anafiláticas mais graves. Para a vacina contra a COVID-19 da farmacêutica Moderna, as reações anafiláticas aconteceram em 19 indivíduos para cada 1 milhão de aplicações, todas em mulheres. Para a vacina da Pfizer, o índice é de 44 a 47 reações anafiláticas por milhão, também em mulheres.

Na maioria das vacinas

A tendência de as mulheres apresentarem reações mais frequentes também é verdadeira para outras vacinas, como a vacina contra a gripe. Para a vacina contra a pandemia de gripe de 2009, na faixa etária de 20 a 59 anos, as mulheres tinham quatro vezes mais chances de relatar reações alérgicas. Outro estudo mostrou que, para um grupo de várias vacinas administradas entre 1990 e 2016, as mulheres responderam ​​por 80% de todas as reações anafiláticas.

Por que as mulheres reagem mais

Existem algumas teorias sobre os motivos das mulheres reagirem com mais vigor, mas o maior fator é provavelmente a ligação dos hormônios reprodutivos estrogênio e progesterona às células imunológicas das mulheres, o que faz com que reajam com mais força. Felizmente, isso resulta na formação de mais anticorpos e células T de combate ao sistema imunológico também. Em comparação com os homens, as mulheres produzem até duas vezes mais anticorpos em resposta a vacinas, como febre amarela, raiva e hepatite A e B.

Em oposição ao efeito imunoestimulante dos hormônios reprodutivos femininos, a testosterona em homens parece agir como um supressor imunológico. Esta é outra razão pela qual os homens podem ter efeitos colaterais menos severos contra as vacinas.

As mulheres devem ser cautelosas?

A pesquisa mostra que, em geral, as mulheres têm respostas imunológicas mais fortes do que os homens – o que pode ser uma das razões pelas quais mais homens morrem de COVID-19. No entanto, isso não significa que as mulheres devem evitar a vacinação! 

Esta informação apenas nos diz que as mulheres devem esperar mais efeitos colaterais, incluindo nas vacinas contra a COVID-19. Esses efeitos colaterais são temporários e mostram que as mulheres estão desenvolvendo uma resposta imunológica mais vigorosa ao vírus.

Quando você puder tomar a vacina contra a COVID-19, seja você homem ou mulher, tome-a! Existem riscos, mas eles são bem maiores se você não se vacinar.

Para encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, vá até a ProcuraMed.com

Leia também na ProcuraMed:

Nova moda da proteção, duas máscaras contra o COVID-19

Como o microbioma intestinal pode ajudar você a reduzir o risco de COVID-19 grave

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Médicos recomendados

Este artigo é relacionado a especialidade Infectologia. A lista abaixo são de médicos relacionados a esta especialidade.

VEJA MAIS MÉDICOS