o silêncio é uma das melhores defesas contra a COVID-19

Aprenda com os japoneses: o silêncio é uma das melhores defesas contra a COVID-19

Comportamento,

Você já ouviu falar, talvez mais do que gostaria, sobre uso de máscaras, distanciamento social, álcool em gel e sobre sempre optar por locais abertos e arejados como medidas de prevenção contra a COVID-19. Mas você já ouviu falar sobre o valor de ficarmos quietos? Ninguém está sugerindo que as pessoas fiquem totalmente em silêncio, mas se você entender melhor como a fala espalha o novo coronavírus, é provável que passe a procurar por locais com conversas mais seguras e silenciosas.

Como o coronavírus se espalha pelo ar

Você pode ser infectado pelo novo coronavírus ao tocar em superfícies contaminadas, mas a principal via de infecção é o ar. Uma pessoa infectada, mesmo sem sintomas, pode estar expelindo partículas de vírus, e a maioria sai pela boca. Se a pessoa infectada mantiver a boca fechada e respirar calmamente, ela evita a transmissão de uma alta concentração do vírus. Mas se essa pessoa cantar ou gritar, vai acabar lançando muitas partículas de vírus que podem aterrissar em seu nariz, boca ou olhos, e infectar você.

Mesmo o ato de falar expele mais vírus. De acordo com Jose L. Jimenez, especialista em transmissão de doenças e professor da Universidade do Colorado (Boulder, EUA), “todas as vias de transmissão viral diminuiriam se falássemos menos, ou se falássemos menos alto, em espaços públicos. A verdade é que se todos parassem de falar por um mês ou dois, a pandemia provavelmente morreria”.

Jimenez estima que, se uma pessoa infectada por COVID-19 começar a falar baixinho, emitirá 5 vezes mais partículas de vírus em comparação com momentos em que essa mesma pessoa respira calmamente e não fala. Se começar a falar alto ou a gritar, ela irá emitir 50 vezes mais partículas de vírus! Você não quer estar perto de uma pessoa assim, mesmo se estiver usando uma máscara (já que as máscaras não são barreiras perfeitas).

Experiência do metrô japonês

O Japão teve muito menos mortes por COVID-19 que a maioria dos outros países desenvolvidos. Quando comparamos a proporção de acordo com o tamanho da população, o Japão tem 98% menos mortes por COVID-19 que os Estados Unidos. Mesmo depois que o tráfego do metrô voltou ao normal em Tóquio, não houve novos surtos atribuídos ao uso do transporte público – embora os metrôs de Tóquio sejam notoriamente lotados. Algumas dessas boas notícias se devem à generosa ventilação em seus metrôs e ao fato de que, no Japão, as pessoas costumam usar máscaras em público. Mas outra parte importante do motivo é que é uma regra informal que as pessoas não falem no metrô de Tóquio ou, quando falam, o fazem baixinho.

Use o tom de voz que você usa na biblioteca

Alguns especialistas têm sugerido que, em espaços públicos, quando as pessoas precisarem conversar, usem uma voz baixa – assim como o fazem quando estão em uma biblioteca. Faça o que fizer, evite situações próximas a pessoas que estejam falando alto. Use máscara, mantenha distância (mais de 2 metros), e saia de perto dessas pessoas, principalmente se estiver de um ambiente fechado.  

Para encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, vá até a ProcuraMed.com

Leia também na ProcuraMed:

O que significam os testes falso-positivo e falso-negativo para COVID-19? 

Como retomar os exercícios após uma infecção por COVID-19

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Médicos recomendados

Este artigo é relacionado a especialidade Infectologia. A lista abaixo são de médicos relacionados a esta especialidade.

VEJA MAIS MÉDICOS