Mais Saúde

Estudo aponta que a testosterona não causa câncer

A partir dos 40 anos, os níveis de testosterona caem lentamente entre os homens. Uma das alternativas é o tratamento a partir de suplementos de testosterona, que podem elevar os níveis do hormônio e deixá-los próximos dos de homens mais jovens. Mas essa possibilidade tem deixado muitos médicos relutantes, já que há o medo de que ela possa aumentar o risco de desenvolver câncer de próstata.

Estudo apresentado em 6 de maio na reunião anual da Associação Americana de Urologia, em San Diego, deve amenizar essa preocupação. O estudo concluiu que, em homens que tomam suplementos de testosterona, não houve aumento significativo na incidência de câncer de próstata. Também apontou redução em 50% nos riscos do tipo agressivo da doença.

O estudo contou com a participação de pesquisadores dos EUA e da Suécia. Foram analisados registros médicos de mais de 250.000 homens suecos comparando a taxa de câncer em homens que tomam testosterona e aqueles que não. A Suécia é um país particularmente adequado para este tipo de estudo, pois é um dos poucos no mundo que mantém registros detalhados sobre toda a população com cancro e a medicação utilizada.

A preocupação com a possibilidade de a testosterona desencadear o câncer de próstata existe porque, quando homens que já têm esse tipo de câncer tomam medicamentos para reduzir a testosterona, os cânceres também encolhem. Da mesma forma, preocupa a possibilidade do efeito contrário, de que, quando eles realizam tratamentos que aumentam os níveis do hormônio, novos cancros podem aparecer. Mas, segundo o estudo, este não parece ser o caso.

Testosterona e doença cardiovascular

A outra principal preocupação sobre a reposição de testosterona é que ele pode aumentar o risco de doença cardiovascular. Embora ainda não se tenha certeza sobre essa possibilidade, estudos recentes sugerem que não há aumento do risco de ataque cardíaco, derrame ou morte precoce em homens que tomam suplementação. Mas isso ainda é controverso e estudos de maior escala estão em andamento para dar uma resposta final.

Quem é um candidato para a terapia de testosterona?

É importante notar que os estudos que demonstram que não há risco aumentado de doença cardiovascular ou de cancro da próstata foram realizados em homens que tinham documentado baixos níveis de testosterona antes de começarem a terapia. Há muitos homens com níveis normais que começam a tomar o hormônio para tentar ganhar massa muscular, melhorar o funcionamento sexual, ou retardar o envelhecimento. Ainda não se sabe se esses homens terão os mesmos bons resultados no tratamento.

Os homens que são candidatos ao tratamento com testosterona são aqueles que têm documentado baixos níveis do hormônio em teste de sangue. Uma vez que os níveis podem variar no dia a dia, é necessário repetir exames de sangue em vários dias diferentes.

Então, se você pensa em começar o tratamento com testosterona, fale com o seu médico. Os mais indicados são urologista e endocrinologista. Eles podem solicitar testes para certificar se você é um bom candidato.

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

O gel de testosterona ajuda homens de meia-idade?

5 maneiras de combater o mal que todo homem tem medo

 

Estudo aponta que a testosterona não causa câncer was last modified: junho 23rd, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês