Nova tecnologia para detectar aneurisma cerebral

Nova tecnologia para monitorar aneurisma cerebral

Pesquisadores da Universidade de British Columbia, no Canadá, desenvolveram uma nova tecnologia para o monitoramento de aneurismas cerebrais. O novo método é potencialmente menos invasivo e mais preciso que os métodos atuais, sendo bastante simples para os pacientes usarem em casa para um frequente monitoramento.

Nova tecnologia para detectar aneurisma cerebral

Os aneurismas podem ocorrer em qualquer vaso sanguíneo do corpo e geralmente não podem ser detectados a menos que haja uma ruptura ou vazamento. Aneurismas no cérebro são um dos tipos mais comuns, afetando até seis por cento da população mundial.

Aneurismas cerebrais ocorrem quando a parede enfraquecida de uma artéria, que transporta sangue para o cérebro, começa a inchar e inchar. Se a artéria rompe, a hemorragia pode levar ao derrame, dano cerebral ou morte. Para criar um tampão, que irá impedir o fluxo sanguíneo para a área frágil da artéria, cirurgiões normalmente inserem um implante de “embolização”, feito de bobinas microscópicas de platina.

Atualmente, a única maneira de verificar se uma embolização ainda está funcionando, é atráves de uma tomografia computadorizada, porém esta expõe os pacientes a altas doses de raios-X, ou angiografia – um procedimento invasivo que envolve cateteres e injetando corantes para realçar artérias do cérebro. Ambos os métodos impedem checkups mais frequente dos pacientes.

Os pesquisadores desenvolveram uma técnica de monitoramento que é compatível com as ferramentas e procedimentos já existentes de implantação das bobinas. Sendo o primeiro estudo deste tipo, a equipe provou que é possível usar o implante de platina como uma “antena”, sem fio, para detectar os níveis sanguíneos e indicar falhas do implante. Seus resultados foram publicados na revista Biosensors and Bioelectronics.

“Esta é uma abordagem completamente nova para o monitoramento da embolização cerebral e nossos testes em laboratório têm sido bastante bem sucedido. Como é um método de detecção precoce, o que estamos propondo  é que este poderia ser realizado por pacientes em casa de forma contínua. Prevemos ter um protótipo dentro de dois a três anos,” diz o autor Kenichi Takahata, professor adjunto do Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computação.

Saiba como prevenir-se:

* Mantenha em níveis adequados a pressão arterial;

* Exerça controle efetivo sobre as taxas de colesterol e triglicérides;

* Não fume;

* Esteja atento: dor forte de cabeça, que surge repentinamente, como se você tivesse levado uma pancada, seguida de enjôos e vômitos, indica a necessidade urgente de atendimento médico-hospitalar;

* Informe seu médico sobre a ocorrência de casos de aneurisma em sua família. Isso ajuda a evitar surpresas desagradáveis.

Clique abaixo, e leia outros artigos da Procuramed relacionados ao tema:

* Uma maçã ou pera por dia pode proteger contra o AVC;

* Melancia reduz aterosclerose;

* Esperar para dormir, 1 hora após a janta, pode reduzir risco de AVC.