Mais Saúde

A tomografia computadorizada pode aumentar o risco de câncer

Nos últimos vinte anos, tem havido um aumento significativo no número de pessoas que realizam os exames de Tomografia Computadorizada (TC) e de Tomografia por Emissão de Pósitrões (PET). Um relatório recente no Journal of the American Medical Association mostra que, entre 1996 e 2010, o número de exames de TC nos EUA triplicou, e o número de exames de ressonância magnética quase que quadriplicou.

A Tomografia Computadorizada (TC)  scan funciona expondo o paciente á uma radiação ionizante e, para que se obtenha as imagens incrívelmente detalhadas e nítidas que resultam desses scanners, várias radiografias devem ser feitas, logo após este processo, estas radiografias são remontadas pelo software para  só então produzir o resultado final. 

Por todo esse efeito a tomografia computadorizada expõe o paciente á uma radiação muito maior do que aquelas emanadas pelos raios-X. Embora essas técnicas mais avançadas de imagem produzam diagnósticos que são impossíveis de se fazer através de um raio-X comum,  há uma grande preocupação em relação ao grande aumento no número de solicitação destes exames.

Com base nessas informações, a revista médica britânica The Lancet, publicou um estudo que examinou os registros médicos de quase 180.000 crianças britânicas que se submeteram à tomografias computadorizada entre 1985 e 2002. Os pesquisadores descobriram que as crianças menores de 15 anos com registro de ter realizado de dois a três scanners de cabeça, mostraram um aumento do risco de desenvolver câncer no cérebro se comparadas as crianças que não foram expostas ao tratamento, e que as crianças que tiveram de 5 a 10 exames triplicaram o risco de leucemia.

Então a conclusão mais apropriada neste caso seria que a TC e o TC/PET devem ser evitadas, especialmente em crianças? A mensagem é: evitar exames desnecessários, e sempre perguntar sobre  as possíveis alternativas a estes exames e sobre testes não-radioativos. O médico David Brenner, professor pesquisador de Biofísica da Radiação na Universidade de Columbia (Nova York) estima que cerca de 1/3 das tomografias poderiam ser evitadas, ou substituídas por alguma outra técnica de diagnóstico.

Submeter-se a uma TC scan raramente é um problema; o problema é submeter pacientes, especialmente crianças, ao uso desnecessários ou excessivo destes recursos médicos. Então, se seu médico solicitar uma tomografia computadorizada é importante fazer algumas perguntas para ele, do tipo: é mesmo necessário fazer vários exames que envolvam exposição à radiação? Poderíamos substituir estes diagnósticos por um exame de ultra-som ou uma ressonância magnética? Afinal, esses exames alternativos não expõem os pacientes à radiação.

Se realmente for necessário realizar uma tomografia computadorizada, você poderá perguntar a sua clinica de radiologia também que medidas devem ser tomadas para diminuir a exposição à radiação. Clínicas de radiologia conhecem bem este problema, e algumas até já começaram a utilizar novos equipamentos e técnicas que reduzem a exposição à radiação.

Caso você esteja procurando um médico ou um radiologista e não dispõe de informações, você poderá encontra-los de uma forma rápida, segura e sem custos através do site principal: www.procuramed.com

 

A tomografia computadorizada pode aumentar o risco de câncer was last modified: junho 17th, 2016 by