jovem

Sexo frequente rejuvenesce

Já escrevemos aqui, no Mais Saúde, sobre os benefícios da atividade sexual para a saúde. No entanto, o estudo do Dr. David Weeks, psicólogo clínico do Royal Edinburgh Hospital, da Escócia, despertou nossa atenção porque, segundo o resultado de sua pesquisa, pessoas que fazem sexo com frequência teriam uma aparência mais jovem.

jovem

A pesquisa do Dr. Weeks ainda não foi publicada, mas apresentada em uma conferência da Sociedade Britânica de Psicologia (na semana de 8 de julho). Seus resultados são muito interessantes e, hoje, vamos expô-los.

O estudo de dez anos do Dr. Weeks envolveu entrevistas com cerca de 3.500 homens e mulheres europeus e americanos, com idades entre 20 e 104 anos (a maioria tinha média de idade de 45 a 55 anos), sobre: quantas vezes tiveram relações sexuais, o quanto gostaram e inúmeras outras questões acerca do estilo de vida de cada um.  Todos os entrevistados foram observados por meio de um espelho unidirecional por um grupo de seis juízes que adivinhou a idade dos indivíduos. Assim, o Dr. Weeks chegou a alguns dados estatísticos.

Sua conclusão geral foi a de que o fator mais importante para a aparente jovialidade dos voluntário é uma vida fisicamente ativa e, em segundo lugar, ter uma vida sexual vigorosa.

O Dr. Weeks declarou:

A qualidade da atividade sexual, mantida por adultos mais velhos, é um preditor da boa saúde em geral e do bem-estar. Em um estudo sobre a doença cardíaca, no País de Gales, de 1997, o risco de mortalidade foi 50% mais baixo no grupo de homens com alta frequência de orgasmos (duas vezes por semana ou mais) do que no grupo de baixa frequência. A satisfação sexual é um dos principais contribuintes para a qualidade de vida, ocupando níveis tão elevados como o compromisso espiritual ou religioso e outros fatores morais…

Sua pesquisa indicou que fazer sexo, incluindo a masturbação, pelo menos três vezes por semana, seria suficiente para conferir o benefício de uma aparência mais jovem, isto é, de 7 a 12 anos a menos que sua idade cronológica. O psicólogo também descobriu que a atividade sexual que “tornaria o indivíduo mais jovem” é mais eficiente quando faz parte de um bom relacionamento com uma parceria fixa ao invés de sexo frequente com parceiros múltiplos e/ou ocasionais.

Embora a investigação sexual seja, muitas vezes, mais subjetiva do que estudos médicos rigorosos, que medem, por exemplo, o nível de hormônios no sangue após o exercício, as conclusões do Dr. Weeks são coerentes com as de estudos anteriores, os quais sugeriram muitos benefícios decorrentes da atividade sexual regular, incluindo: melhor aparência da pele, melhor funcionamento do sistema imunológico, melhor controle de peso, menstruação mais regular em mulheres, vida útil mais longa, diminuição do estresse, melhora do sono e maior felicidade.

As razões para o sexo ser tão benéfico são multifatoriais, e entre elas destacam-se: queima de calorias, tonificação dos músculos pélvicos e liberação de endorfina e hormônios que nos fazem sentir bem. Além do mais, pessoas que fazem muito sexo costumam se cuidar mais para continuarem atraentes.

Alguns dos estudos mais rigorosamente controlados em relação à frequência sexual e a saúde relacionaram homens e câncer de próstata. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Harvard mostrou que os homens que ejaculavam 21 vezes ou mais por mês tiveram risco de morte por câncer de próstata 33% menor em comparação com aqueles que ejaculavam de 4 a 7 vezes por mês.

Um estudo australiano mostrou resultados semelhantes. Os pesquisadores sentiram que o motivo pode estar ligado ao fato de que as ejaculações frequentes limpam os dutos prostáticos com regularidade, livrando-se das células potencialmente cancerígenas.

Depois de ler este post, todos sabem qual é a lição de casa… divirtam-se!

Caso você necessite encontrar um médico,  pode fazê-lo em nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Os benefícios do sexo

 

 

Esta postagem também está disponível em: Inglês