Mais Saúde

Pesquisa relaciona problemas de ereção a colesterol alto

Se você se preocupa com seu desempenho sexual, mas deixa de lado a boa alimentação, é melhor ficar atento. Pesquisa publicada na última semana mostra como altos níveis de colesterol no sangue podem prejudicar a ereção.

O excesso de gordura, que coloca em risco o coração, também pode afetar diretamente a vida sexual dos homens. Para que se tenha uma boa ereção, é fundamental que haja um bom fluxo de sangue para o pênis. Em homens com colesterol alto, os vasos sanguíneos acabam obstruídos, inclusive os que irrigam a região genital.

A constatação foi reforçada no último dia 29 de março, durante a reunião anual do Americal College of Cardiology, em Washington, DC. Um estudo apresentado durante o evento e publicado na versão online do Jornal de Medicina Sexual mostrou que homens que possuem altos níveis de gordura no sangue melhoraram a ereção quando medicados para reduzir o colesterol.

O estudo foi uma meta-análise sobre 11 pesquisas anteriores sobre o assunto. Foi tomado como base o Inventário Internacional da Função Erétil, um questionário com cinco perguntas para auto-avaliação das ereções, em escala de 1 a 5, com pontuação máxima de 25.

Entre os homens identificados com colesterol alto, a pontuação média inicial era de 14. Estes mesmos homens passaram por acompanhamento médico e tratamento a base de estatinas, medicamento comum para regular o colesterol. Em quatro meses, a pontuação média passou para 17,4 – um aumento de 24%.

Vale lembrar que o estudo teve como base homens com diagnóstico médico que apontava para altos níveis de colesterol. O resultado não relaciona melhoria alguma a partir do uso de estatinas em homens saudáveis. Para disfunções eréteis, medicamentos como a sildenafila costumam ser mais usuais e levam a efeitos de duas a três vezes maiores.

Há, ainda, relatos mais antigos que indicam entre os efeitos colaterais das estatinas exatamente o contrário da pesquisa, incluindo a diminuição do desempenho da ereção. De uma forma ou de outra, todos os médicos concordam que os maiores benefícios à saúde, em diferentes áreas, estão ligados a níveis baixos de colesterol no sangue.

Então, antes de sair colocando a culpa no colesterol, saiba que há ainda vários outros fatores que podem prejudicar a qualidade da ereção, como diabetes, hipertensão arterial, tabagismo, obesidade, estresse, depressão, baixos níveis de testosterona, entre outros.

Lembre-se, também, que há vários métodos para redução do colesterol que não envolvem o uso de medicamentos. Fazer exercícios físicos, cuidar da alimentação, perder peso e ficar longe da fumaça de cigarro podem ajudar neste objetivoSão iniciativas naturais, simples, e que também melhoram o humor – mais um componente fundamental para o bom desempenho sexual.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Sexo e exercício: duas grandes conclusões

Estudo aponta relação entre estresse e infertilidade

Tratamento para dor sexual em mulheres

 

 

 

 

 

Pesquisa relaciona problemas de ereção a colesterol alto was last modified: junho 15th, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês