medicamentos podem afetar a fertilidade masculina

Como o ibuprofeno e medicamentos contra a dor podem afetar a fertilidade masculina

Especialistas em saúde reprodutiva reconhecem que as taxas de fertilidade masculina têm caído globalmente. No ano passado, um estudo veiculado em Atualização de Reprodução Humana mostrou que, de 1973 a 2013, pelo menos nos EUA e na Europa, o homem médio sofreu uma queda de 59% na contagem total de esperma.

Provavelmente existem muitas razões para esta queda, mas um fator que está sendo suspeitado pelos médicos são os medicamentos que os homens estão tomando. Um recente estudo de pesquisa europeu publicado pela National Academy of Sciences (EUA) sugere que o ibuprofeno é um dos medicamentos que podem estar afetando a fertilidade masculina.

Fertilidade masculina, um grande problema

A Organização Mundial da Saúde estima que atualmente cerca de 25% dos casais têm problemas com a fertilidade. E, em até 50% dos casos, parte da dificuldade surge de uma deficiência no homem. Normalmente, isso significa que o esperma do homem é de qualidade sub-ótima.

Medicamentos contra dor e fetos masculinos

A pesquisa europeia sobre ibuprofeno veio do desejo de descobrir o que poderia estar causando esse problema generalizado de fertilidade. Os pesquisadores suspeitaram do ibuprofeno porque o medicamento, quando tomado por mulheres grávidas, contribui para possíveis malformações dos órgãos sexuais de fetos masculinos. O mesmo acontece com outros medicamentos para dor, como aspirina e paracetamol.

Estudo europeu com homens jovens

Os pesquisadores trabalharam com 31 voluntários atléticos e saudáveis, com idade entre 18 e 35 anos. Metade do grupo recebeu 600 mg de ibuprofeno duas vezes por dia durante 6 semanas. A dose de 1200 mg. é a máxima diária sugerida, geralmente tomada por atletas e pessoas comuns. A outra metade do grupo tomou um placebo por 6 semanas.

Resultados

Após apenas 2 semanas de estudo, os homens que tomaram o ibuprofeno apresentaram alterações hormonais. Felizmente, seus níveis de testosterona não diminuíram, mas seus níveis de outro hormônio, chamado hormônio luteinizante (LH), aumentaram. No final do estudo, os níveis de LH foram ainda maiores.

O LH é produzido pela glândula pituitária situada perto do cérebro. A glândula pituitária é como o controlador mestre dos hormônios do corpo. Quando ela secreta mais LH, significa que está tentando fazer que os testículos produzam mais testosterona. Mas nos homens que tomaram ibuprofeno, esse efeito não aconteceu. Isso colocou os homens em uma condição chamada “hipogonadismo compensado”, que normalmente ocorre em homens mais velhos, cujos testículos estão perdendo potência.

Hipogonadismo compensado pode levar à perda de libido e massa muscular, problemas de ereção, depressão e desgaste dos ossos. No entanto, os pesquisadores acreditam que, em homens mais jovens, uma vez que eles param o consumo de ibuprofeno, os testículos voltem ao normal.

Tomar ou não ibuprofeno?

Este estudo não significa que os homens devem evitar o ibuprofeno em absoluto. Os homens do estudo estavam tomando o medicamento diariamente e em uma dose bastante alta.

Os autores sugerem que, se um homem estiver em um período em que quer se tornar pai, ele deve minimizar o uso de ibuprofeno e tomar somente quando muito necessário. E, uma vez que os medicamentos alternativos, como a aspirina ou o paracetamol, são suspeitos de causar o mesmo problema, a melhor abordagem é evitar medicamentos contra a dor em geral durante o período que um homem deseja maximizar seu potencial de fertilidade.

Para encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, vá até a Procuramed.com

Leia também na ProcuraMed:

Quais os efeitos da suplementação de testosterona em homens mais velhos?

5 maneiras de combater o mal que todo homem tem medo

Esta postagem também está disponível em: Inglês