Expressar gratidão pode melhorar sua saúde

Expressar gratidão pode melhorar sua saúde

Nesta época do ano, podemos pensar mais profundamente sobre nossas vidas – o que realizamos, o que queremos fazer e sobre amigos e familiares. Hoje, apresentamos pesquisas que mostram que o ato de expressar gratidão pelas coisas boas em nossas vidas não apenas nos tornará mais felizes, mas também pode beneficiar nosso coração e nossas funções imunológicas.

A gratidão ajuda seu coração a funcionar melhor

O último estudo importante sobre gratidão foi feito por Paul J. Mills, PhD, professor de medicina familiar e saúde pública na Universidade da Califórnia, em San Diego. Ele estudou 186 homens e mulheres com insuficiência cardíaca no estágio B. Essas pessoas já haviam sofrido danos estruturais no coração, mas não apresentavam sintomas como falta de ar ou fadiga.

O objetivo nesses pacientes é estabilizar o funcionamento do coração, de modo que eles não progridam para o estágio C, com sintomas que afetam a qualidade de vida. Um dos estudos pediu que a metade dos pacientes fizesse um “diário de gratidão” por 8 semanas, enquanto a outra metade, não. Aqueles que fizeram o diário foram convidados a escrever duas ou três coisas que eles agradeciam em suas vidas. Eles deveriam fazer isso quase todas as noites antes de dormir.

As pessoas escreveram sobre coisas de seu passado, presente ou suas esperanças para o futuro. Escreveram sobre tudo, desde cônjuges, animais de estimação, comida, viagens, trabalho, amigos, famílias, lar, hobbies e mais.

No final de dois meses, os pacientes que mantiveram o diário de gratidão apresentaram níveis significativamente mais baixos de “biomarcadores inflamatórios” no sangue. Esses biomarcadores são um sinal de estresse no coração. Eles aumentam quando a inflamação também aumenta e liberam certas enzimas e proteínas, como citoquinas, que danificam o coração e outros órgãos.

Aqueles que mantiveram um diário de gratidão também tiveram melhores ritmos cardíacos e “mostraram melhor bem-estar, humor menos deprimido, menos fadiga e dormiram melhor”.

Outras pesquisas sobre gratidão

Outros estudos concluíram que as pessoas que expressam gratidão aos seus amigos e parceiros têm melhores relacionamentos e que os chefes que expressam gratidão têm trabalhadores mais produtivos. Pessoas que são gratas também acabam consumindo comidas mais saudáveis, com menos ingestão de gordura, e têm um sistema imunológico mais forte, com células de combate a infecção mais ativadas.

Por que a gratidão tem benefícios físicos positivos

Os pesquisadores acreditam que os benefícios provêm de estimular o sistema nervoso parassimpático, que em geral acalma e protege o corpo do estresse. Os níveis de cortisol (hormônio do estresse) são mais baixos e os níveis de oxitocina (o chamado “amor hormonal”) aumentam.

Se você não sente gratidão

Os psicólogos dizem que algumas pessoas naturalmente expressam gratidão. E que as que não expressam podem aprender facilmente.

Comece aos poucos e mantenha uma caneta perto de sua cama. Antes de dormir, anote pelo menos uma coisa pela qual você se sente grato. Faça isso a maior parte das noites, e você verá benefícios. Se você não quiser escrever, pelo menos pense.

O estudo mostrou que o maior benefício aparece quando você escreve ser grato a uma pessoa que você não agradeceu antes. Mas se você não quiser escrever, agradeça mentalmente – também é útil. Algumas pessoas expressam gratidão através da oração ou da meditação.

Espiritualidade

Para terminar, citamos novamente o Dr. Mills: “Com gratidão, as pessoas reconhecem a bondade em suas vidas. No processo, as pessoas costumam reconhecer que a fonte dessa bondade está pelo menos parcialmente fora de si. Como resultado, a gratidão também ajuda pessoas a se conectarem a algo maior que elas mesmas – seja para outras pessoas, natureza ou uma força superior. ”

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Como controlar ataques de pânico

Meditação para pessoas que não gostam de meditação

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Category : Psiquiatria