Mais Saúde

Hábito de tomar café está relacionado aos genes

Você já parou pra pensar por que algumas pessoas podem beber café durante a noite e ainda cair no sono, enquanto outras ficam acordadas até tarde se tomam uma pequena xícara durante o dia? A resposta está em nossos genes.

Dependendo de quais genes você herda de seus pais, você vai metabolizar a cafeína de forma mais rápida ou mais lenta. Pessoas com metabolismos rápidos quebram a cafeína da corrente sanguínea mais rapidamente. Ou seja, mesmo que bebam café à noite, até a hora que vão para a cama a cafeína já estará quebrada em componentes mais inertes.

Estudos feitos nos Estados Unidos (na Universidade de Harvard), no Canadá e mais recentemente na Itália descobriram que existem vários genes diferentes envolvidos nesse processo. Esses genes controlam várias enzimas hepáticas que quebram o composto químico da cafeína.

Um dos genes envolvidos é chamado de “CYP1A1”. Temos dois em nosso organismo, um herdado do pai e outro, da mãe. Ele é encontrado em duas variedades – o “rápido” e o “lento”. Se ambos os pais têm a variante rápida, você terá duas cópias desse gene rápido em seu sistema. Assim, você vai metabolizar café cerca de 4 vezes mais rapidamente que uma pessoa que tem uma ou duas cópias do gene de variante lenta.

Cerca de 40% das pessoas têm duas cópias do gene CYP1A1 rápido, consideradas “metabolizadores rápidos”. Cerca de 45% têm uma cópia do gene rápido e uma cópia do gene lento, enquanto os 15% restantes têm duas cópias do gene lento. Essas últimas pessoas serão aquelas que já aprenderam que não podem beber uma xícara de café sequer no meio da tarde.

Efeitos contrários do café

Curiosamente, os pesquisadores descobriram que as pessoas aprendem naturalmente a beber café dependendo de como metabolizam a cafeína.

Metabolizadores lentos tendem a ter um efeito gradual: despertam quando bebem café e o efeito pode durar muitas horas, até que lentamente vai embora. No outro extremo, os metabolizadores rápidos irão notar um aumento quase imediato no estado de alerta com café, seguido por uma queda relativamente rápida em energia. Estas pessoas tendem a beber café várias vezes por dia e são capazes de beber durante o começo da noite também, sem ter o sono prejudicado.

Os pesquisadores também apontam que as pessoas devem ouvir o próprio corpo e os sinais que ele emite sobre o metabolismo da cafeína, já que isso tem efeitos sobre a saúde. Por exemplo, as pessoas que são metabolizadores lentos (e que, naturalmente, não bebem muito café), podem ter efeitos na saúde se começarem a aumentar o consumo. Esses efeitos vão desde pressão arterial elevada até o risco maior de sofrer ataques cardíacos. Já entre os metabolizadores rápidos, o café tem efeito contrário, protegendo a saúde do coração e a pressão arterial.

Café é saudável para a maioria

Embora os efeitos sobre a saúde ainda sejam controversos, muitos estudos indicam que, para a maioria das pessoas, o consumo ajuda a reduzir o risco de doença cardíaca, diabetes, doença hepática, doença de Parkinson e até mesmo demência.

Mais pesquisas precisam ser feitas dentro desse tema. Por quanto, o que sugerimos é que você ouça seu corpo a respeito de como você lida com café. Se você é um metabolizador lento, não há prováveis riscos de beber ocasionalmente mais café do que o normal, se você precisa ficar acordado naquele dia. O importante é não tornar disso um hábito que seu organismo não possa suportar.

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Afinal, a manteiga é saudável?

O incrível poder das sementes de chia

Hábito de tomar café está relacionado aos genes was last modified: setembro 2nd, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês