Mais Saúde

A atividade sexual e a função cerebral

Atividade sexual na velhice é um assunto cada vez mais pesquisado. Um dos últimos estudos sobre o tema está na revista Idade e Envelhecimento e aponta que quanto mais as pessoas são sexualmente ativas na velhice, melhor o funcionamento do cérebro, em especial, a memória.

O funcionamento do nosso cérebro está diretamente ligado à saúde de forma geral – se estamos deprimidos ou solitários, se somos fisicamente ativos, entre outros fatores. Mas, dessa vez, pesquisadores do Centro de Investigação em Psicologia, Comportamento e Realização na Coventry University (UK) quiseram saber se a atividade sexual também exerce influência na capacidade mental à medida em que envelhecemos.

Eles examinaram 6.833 homens e mulheres com idade entre 50 e 89 anos e que estavam fazendo parte em um estudo de longo prazo —English Longitudinal Study of Ageing. Os voluntários da pesquisa responderam a um levantamento detalhado, inclusive sobre suas vidas sexuais, como frequência, parceiros e masturbação.

Em seguida, todos passaram por testes sobre funcionamento mental. Em um deles, por exemplo, eles ouviam uma lista de 10 palavras e, depois de um intervalo, eram convidados a falar o máximo de palavras das quais lembravam. Em outro teste, que buscou avaliar a “função executiva” do cérebro, os voluntários ouviam uma sequência de números com um faltando, e, em seguida, precisavam falar qual era este faltante.

Os resultados mostraram que os homens que eram sexualmente ativos tiveram melhor desempenho em ambos os testes quando comparados aos homens com vida sexual menos ativa. Entre as mulheres, as sexualmente ativas tiveram melhor desempenho no teste de recordação da lista de palavras.

O estudo não significa necessariamente que a atividade sexual leve o cérebro a funcionar melhor, mas pode haver alguma relação. Os pesquisadores também levam em consideração fatores como nível de escolaridade, atividade física e saúde em geral.

Por que a atividade sexual pode ajudar o cérebro?

Uma razão pelas quais a atividade sexual pode estar ajudando o cérebro de indivíduos mais velhos (e provavelmente mais jovens também) é que o sexo reduz o nível de estresse e libera neurotransmissores no cérebro, que melhoram o funcionamento das sinapses que ligam as células nervosas.

Embora este estudo esteja longe de ser definitivo, ele reforça as evidências de que uma vida sexual ativa tem benefícios psicológicos, físicos, e ainda ajuda a manter nossa memória e nossas funções cerebrais trabalhando melhor.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

O gel de testosterona ajuda homens de meia-idade?

5 maneiras de combater o mal que todo homem tem medo

A atividade sexual e a função cerebral was last modified: abril 1st, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês