aspirina e câncer

Aspirina aumenta sobrevivência em casos de cancer

Tomar uma pequena dose de aspirina todos os dias tem sido recomendada por muitos médicos como uma boa maneira de diminuir o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral em adultos. Mas a aspirina acaba de ganhar uma nova indicação: pesquisa recente mostrou que tomar uma dose baixa reduz o risco de certos tipos de câncer, particularmente aqueles que afetam cólon e reto, estômago, esôfago e da próstata, entre outros, incluindo o cancro da mama.

Publicado em 20 de abril na revista científica PlosOne, o estudo foi realizado por pesquisadores da Cardiff University (UK). Eles concluíram que pessoas que já têm certos tipos de câncer mostram aumento da taxa de sobrevivência de até 20% quando tomam doses baixas de aspirina junto com o tratamento contra o câncer. É importante enfatizar que as pessoas não estavam sendo tratados apenas com aspirina.

A equipe de investigação foi chefiada pelo Dr. Peter Elwood, um líder na luta contra várias doenças. Ele publicou o primeiro estudo relacionado ao tema no British Medical Journal, em 1974, relatando que a aspirina diária reduz o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. Dr. Elwood também conduziu um estudo de 35 anos mostrando que o exercício diário diminuiu o risco de demência.

Aspirina aumenta a sobrevida em 15-20%

Sobre a pesquisa atual, Dr. Elwood conclui:

“A avaliação sugere que uma dose baixa de aspirina tomada pelos pacientes com câncer de cólon, da mama ou da próstata, em adição a outros tratamentos, está associada a uma redução de risco de morte de cerca de 15-20%, juntamente com uma redução da propagação do cancro. ”

Mas como ela pode levar a esse efeito? Um dos motivos é o fato de a aspirina ser um medicamento anti-inflamatório. A inflamação no corpo é considerada um fator de risco para o câncer. Entre os fatores que aumentam a inflamação no corpo estão tabagismo, sedentarismo, obesidade e consumo de alimentos com gorduras trans.

Dose utilizada

A dose de aspirina usada na maioria desses estudos de prevenção e tratamento do câncer é de 80 a 100 mg. por dia, o que é muito menos do que um comprimido de aspirina padrão de 325 mg.

O principal risco do uso diário da aspirina é o sangramento do estômago, mas este risco é baixo. Por isso, recomenda-se o acompanhamento médico em todos os casos de consumo diário do medicamento, em especial para pessoas que têm histórico de problemas de estômago ou que bebem doses significativas de álcool diariamente (o que aumenta o risco de hemorragia estomacal).

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Gengivas saudáveis ajudam a evitar o câncer de pâncreas

Azeite de oliva extra-virgem pode diminuir risco de câncer de mama

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Category : Doenças, Medicação