Mais Saúde

Mulheres grávidas que tomam ômega-3 têm bebês mais saudáveis

Aqui, no blog Mais Saúde, já apresentamos informações sobre os benefícios dos ácidos graxos ômega-3 (ômega-3) para a saúde, incluindo melhora do humor, aumento da fertilidade masculina, redução do risco de perda de visão e do risco de demência.

Hoje, apresentamos um estudo, publicado na edição de abril de 2013, do American Journal of Clinical Nutrition, o qual relata que o ômega-3 também ajuda as mulheres grávidas a aumentar suas chances de dar a luz a uma criança mais saudável.

Os pesquisadores testaram suplementos de DHA (que é um tipo de ômega-3), substância naturalmente encontrada nas membranas celulares. Suplementos de DHA, ingeridos como cápsulas ou pelo consumo de certos alimentos, aumentam a concentração de DHA nas células, especialmente, na região cerebral. O cérebro fetal também acumula DHA, à medida que se desenvolve no útero materno.

No estudo atual, conduzido por Susan E. Carlson, Ph.D., foram recrutadas 154 mulheres grávidas saudáveis, as quais foram divididas, aleatoriamente, em dois grupos. Um grupo recebeu um suplemento encapsulado, diário, de 600mg de DHA e o outro, uma cápsula de placebo, com a mesma aparência e gosto das originais. Todas as mulheres começaram a tomar suas cápsulas antes da 20ª semana de gestação e seguiram com o tratamento até o dia do parto.

A pesquisa mediu os níveis de DHA presentes no sangue das gestantes e no dos bebês por meio do cordão umbilical. Os pesquisadores descobriram que houve aumento de DHA entre as mulheres que tomaram os suplementos de ômega-3.

Contudo, o que mais interessava a eles era: será que as mulheres que receberam o DHA têm menos risco de partos prematuros? Será que seus filhos têm menos risco de nascer com peso abaixo do normal? Houve efeitos adversos com a ingestão dos suplementos?

Os resultados mostraram que as mulheres que receberam o DHA, de fato, tiveram bebês mais saudáveis. Seus filhos eram quase 0,25 Kg mais pesados, um pouco mais altos e tinham perímetro cefálico um pouco maior, o que é excelente para os recém-nascidos.

Além disso, apenas 0,6% desse grupo de gestantes deu a luz com menos de 34 semanas contra, aproximadamente, 5% das parturientes que não tomaram os suplementos. E não houve relatos de efeitos adversos.

Qualquer pessoa, além das grávidas, pode aumentar os seus níveis de DHA, tomando capsulas ômega-3. Mas, pode, também, consumir mais alimentos com níveis significativos de ômega-3, como peixes e nozes. Os melhores peixes são o salmão, a anchova e a sardinha. Uma coisa importante de ser verificada, especialmente para as mulheres grávidas, é se os peixes são livres de mercúrio e de toxinas; e isso significa evitar “peixes cultivados”.

Se você comer salmão duas ou três vezes por semana, receberá a quantidade adequada de ômega-3 para o seu organismo. O peixe é a melhor fonte dessa substância na questão de qualidade, mas caso não coma peixe, outras fontes são a linhaça, as sementes de chia e as nozes. No entanto, a maioria das castanhas tem de ômega-3 (exceto as macadâmias).

Ou, então, você pode ingerir o ômega-3 em cápsulas (que contenham DHA). Mas, certifique-se de que a marca seja de qualidade e que utiliza peixes “limpos”. As gestantes devem consultar o médico antes de tomar qualquer medicação, incluindo os suplementos. Porém, esta pesquisa apresenta um bom motivo para as mulheres grávidas ingerirem quantidades adequadas de ômega-3.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

*Mulheres grávidas podem não estar fazendo testes de DSTs

*Ácido fólico diminui risco de grávidas terem filhos com autismo

Mulheres grávidas que tomam ômega-3 têm bebês mais saudáveis was last modified: junho 17th, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês