baby brain test

Cérebro de bebê de mãe que se exercita funciona melhor

Não muito tempo atrás, muitos obstetras aconselhavam suas pacientes grávidas a evitar o exercício físico. Mas isso mudou e, hoje, apresentamos uma pesquisa que traz boas razões para as gestantes se manterem ativas.

baby brain test

Pesquisadores da Universidade de Montreal (Canadá) acabam de apresentar suas conclusões sobre um estudo feito com mulheres grávidas e seus recém-nascidos na reunião anual da Society for Neuroscience. Até então, a maioria das pesquisas eram feitas em ratas prenhes.

A formatação do estudo foi simples. Foram selecionadas mulheres grávidas e saudáveis, que estavam entrando no segundo trimestre da gestação, divididas em dois grupos. Nenhuma delas fazia exercícios regulares.

Um grupo foi instruído a praticar um exercício aeróbico por, pelo menos, 20 minutos, três vezes por semana, em intensidade moderada. As voluntárias foram convidadas a exercitarem-se a tal ponto que resultasse em ligeira falta de ar. A maioria correu ou caminhou rápido. A outra metade das mulheres não se exercitou.

Em ambos os grupos, as mulheres deram à luz a bebês saudáveis. E quando essas crianças completarem de 8 a 12 dias de idade, as mães os levarão para passar pelo teste de cérebro sofisticado.

Os pesquisadores colocaram uma série de eletrodos suaves sobre a cabeça de cada bebê (veja fotografia) e, enquanto as crianças dormiam no colo de suas mães, era tocada uma série de sons no ouvido dos pequenos. Os eletrodos registraram as respostas cerebrais.

Eles descobriram que os bebês das mães do grupo ativo, isto é, que praticou exercícios físicos, tinham cérebros mais maduros do que os filhos das mães sedentárias. Os pesquisadores acreditam que as crianças com cérebro mais maduro podem desenvolver a fala mais rapidamente. As pesquisas com esses bebês prosseguem para verificar os benefícios a longo prazo.

Já se havia observado a melhora da função cerebral em adultos a partir da atividade física, portantodias, estes resultados não são muito surpreendentes. Nos adultos, o exercício aeróbico libera uma substância química chamada “fator neurotrópico derivado do cérebro”, que estimula o desenvolvimento de novas células cerebrais e melhora as conexões entre elas.

Um dos pesquisadores da Universidade de Montreal, Labonte-LeMoyne concluiu: “uma mulher fisicamente ativa durante a gravidez pode transmitir ao nascituro uma vantagem em termos de desenvolvimento do cérebro”. Outro pesquisador, Daniel Curnier, observou: “o sedentarismo aumenta os riscos de complicações durante a gravidez, a atividade pode facilitar a recuperação pós-parto, tornar a gestação mais confortável e reduzir o risco de obesidade nas crianças”.

Portanto, se você está grávida, converse com seu médico sobre os benefícios do exercício físico para o seu caso. Este estudo dá uma outra razão para que as gestantes se mantenham ativas – o que é bom para a mãe, é bom para o bebê!

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Veja também na ProcuraMed:

Bebês amamentados têm QI mais alto

Mulheres grávidas que tomam ômega-3 têm bebês mais saudáveis

Pais mais velhos: boas e más notícias

 

 

 

 

Esta postagem também está disponível em: Inglês