Mais Saúde

Bebês amamentados têm QI mais alto

De 1º a 7 de agosto é celebrada a Semana Mundial da Amamentação, evento patrocinado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a qual listou em seu site “10 fatos sobre o aleitamento materno”. Hoje, vamos abordar alguns dos benefícios da amamentação para a saúde da criança e da mãe.

Primeiro, porém, vamos descrever um novo estudo que aponta que bebês amamentados são mais inteligentes. Essa pesquisa foi publicada no JAMA Pediatrics em 29 de julho. Foram recrutadas 1.312 mães, enquanto elas ainda estavam grávidas, e, depois do nascimento, a inteligência verbal e não-verbal das crianças foi medida até completarem 7 anos.

O estudo concluiu que as crianças de 3 e 7 anos, comprovadamente amamentadas, eram significativamente mais inteligentes do que as crianças alimentadas com fórmulas. E quanto maior o tempo da amamentação, melhor a pontuação nos testes.

Os pesquisadores do Hospital Infantil de Boston estimam que uma criança amamentada durante o primeiro ano de vida teria o QI (quoeficiente de inteligência) 4 pontos mais alto do que uma criança alimentada com mamadeira.

Esse estudo é consistente com um outro sobre aleitamento materno e QI, feito na Nova Zelândia e publicado em 2007. Os pesquisadores descobriram que a vantagem do QI de uma criança amamentada era de até 7 pontos.

Sem dúvidas, o leite e as fórmulas fabricados têm muitos benefícios – como a comodidade desse tipo de alimento -, mas não há nada melhor para um bebê que ser amamentado por sua mãe. O leite materno é rico em substâncias que fórmula alguma irá compensar.

Ele tem o equilíbrio perfeito de nutrientes dos quais o bebê precisa, incluindo o equilíbrio das gorduras necessárias para o crescimento do cérebro – e este é, provavelmente, um dos motivos pelos quais bebês amamentados são mais inteligentes. Também é rico em anticorpos naturais e enzimas que protegem o bebê de infecções (o leite materno fortalece o sistema imunológico).

Aqui, listamos algumas das razões pelas quais as crianças amamentadas são mais saudáveis (além, claro, dos benefícios psicológicos de estreitar os vínculos entre a mãe e seu bebê):

* 72% de redução em hospitalização por infecções pulmonares;

* Até 63% menos resfriados e infecções de garganta e de ouvido;

* Reduz em 40% o risco da síndrome de morte súbita do lactente;

* Risco de 27% a 42% menor de asma e eczema;

* Risco de 15% a 20% menor de leucemia infantil e linfoma.

Para a mãe que amamenta, os benefícios são: menor risco de câncer de mama, de útero e ovário, redução do risco de osteoporose e retorno mais rápido ao peso anterior à gravidez.

Todavia, para que mãe e filho recebam todas essas vantagens, o leite materno, tal como recomenda a OMS, deve ser o alimento exclusivo do bebê nos primeiros seis meses de vida. Depois, deve-se introduzir alimentos sólidos na dieta da criança, contudo, a amamentação pode ser mantida até os dois anos de idade.

Converse com seu médico sobre essas recomendações. Mas, agora, durante a Semana Mundial de Aleitamento Materno, atualize seus conhecimentos sobre o assunto. A amamentação torna mãe e filho mais saudáveis e as crianças ainda crescem mais inteligentes. Isso é bom para todos nós.

Amamentação (brasil.gov.br)

Caso você necessite encontrar um médico,  pode fazê-lo em nosso site: www.procuramed.com.

Também na ProcuraMed:

Ácido fólico diminui risco de grávidas terem filhos com autismo

Bebês amamentados têm QI mais alto was last modified: junho 16th, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês