Amamentação benefícios para mulher

Amamentação e os benefícios para a mulher

O leite materno é a melhor nutrição possível para um bebê recém-nascido, mas você sabia que ela também pode beneficiar a mãe? Dois estudos recentemente publicados reforçam o fato de que a amamentação pode reduzir o risco de câncer de mama e diabetes.

Câncer de mama

Cerca de 40 mil casos de câncer de mama em mulheres de todo o mundo foram analisados no estudo publicado pela revista Annals of Oncology. Os resultados apontaram que amamentar, mesmo por um período relativamente curto de tempo, reduz o risco de uma forma particularmente agressiva de cancro da mama, o cancro com receptor hormonal negativo. Neste caso, a amamentação conseguiu reduzir o risco em até 20%.

Os pesquisadores acreditam que a razão para esse resultado é que o ato de produzir leite amadurece o tecido mamário, desencadeando alterações nas células do ducto de leite. Esse processo as torna mais resistentes.

Dr. Marisa Weiss, uma das principais autoras do estudo, observa que “a glândula mamária é imatura e incapaz de fazer o seu trabalho – que é fazer o leite – até que ela passa por uma gravidez a termo”. Com a gravidez, a glândula chegaria à maturidade e à plenitude de suas funções.

Esse processo contínuo tem levado muitos pesquisadores a se referir à amamentação como o”quarto trimestre da gravidez”. Isso porque a amamentação aparece para completar o ciclo reprodutivo, levando o corpo da mulher de volta ao normal e trazendo benefícios para o resto da vida.

Diabetes e amamentação

Há muito tempo, obstetras indicam que mulheres com altos índices de açúcar no sangue durante a gravidez amamentem seus bebês. Com a amamentação, os riscos de desenvolver diabetes no pós-parto reduzem bastante. Estudo recente publicado na revista Annals of Internal Medicine demonstrou a importância da amamentação neste sentido.

Os resultados mostraram que as mulheres que amamentaram por mais de 10 meses diminuíram o risco de desenvolver diabetes a longo prazo em quase 60%. A principal autora do estudo, Dr. Erica Gunderson, observa que a gravidez causa um grande estresse sobre o metabolismo de uma mulher, mas que a amamentação parece dar ao pâncreas um descanso necessário das exigências da gravidez.

Quando uma mulher amamenta, os níveis de açúcar no organismo caem. Assim, o pâncreas, que é a glândula que produz a insulina, não tem que trabalhar tão duro. Isso ajuda a preservar o órgão para que ele possa funcionar corretamente durante o resto da vida.

Estudos anteriores haviam sugerido fortemente outros benefícios para a mulher que amamenta, incluindo menor risco de desenvolver artrite reumatóide e câncer de ovário, melhor saúde cardiovascular e pressão arterial mais baixa. Os novos estudos dão mais suporte à ideia de que a amamentação é uma situação boa para os dois lados: ótima para o do bebê, ótima também para a mãe.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Saiba porquê bebês que nascem por parto normal são mais saudáveis

Cérebro de bebê de mãe que se exercita funciona melhor

Esta postagem também está disponível em: Inglês