seu microbioma e porque é seu amigo

Qual é o seu microbioma e porque é seu amigo

Você pode se assustar lendo uma notícia recente publicada no site da BBC com o título “Mais da metade do seu corpo não é humano”. O que eles querem dizer é que temos mais células não humanas em nosso corpo do que células humanas inatas. Estas células não humanas incluem bactérias e outros invasores, e são realmente necessárias para uma boa saúde. É pura “simbiose” — mantemos as células “alienígenas”, nosso microbioma, vivas e elas trabalham para o nosso corpo de muitas maneiras.

O que é e onde está o microbioma?

Segundo a professora Ruth Levy, diretora do Instituto Max Planck (Alemanha), apenas 43% dos nossos corpos são células humanas. Os outros 57% das células são compostos por trilhões de bactérias, vírus e fungos que vivem em nossa pele e dentro de nossos corpos. Nossa boca e nariz estão cheios deles, mas a maior concentração está em nossos intestinos delgado e grosso.

Essas células não humanas são muito pequenas e, juntas, pesam cerca de 2 kg. Ainda assim, isso é mais pesado que o cérebro normal. Muitos cientistas consideram o microbioma como um órgão real, já que tem tantas funções importantes.

Como o microbioma nos ajuda?

Esses microorganismos só são bons para nós se os mantivermos em um equilíbrio saudável com as células de nosso corpo. Normalmente, conseguimos nos manter equilibrados, mas quando somos afetados por uma doença ou algo perturba o equilíbrio, os microrganismos podem causar mais mal do que bem.

Um microbioma saudável é importante para um sistema imunológico saudável e também sintetiza algumas vitaminas e aminoácidos essenciais. Além disso, ajuda a digerir carboidratos complexos e a quebrar as toxinas que ingerimos.

Como esses organismos funcionam?

Uma das principais maneiras pelas quais eles nos ajudam acontece depois que comemos algumas (e não todas) fibras de carboidratos complexos. Elas não são digeríveis no estômago ou no intestino delgado, e são levadas para o intestino grosso intactas. Lá, nossas bactérias amigáveis, que trabalham no escuro e sem oxigênio, fermentam as fibras para produzir o que é chamado de “ácidos graxos de cadeia curta”.

Estas substâncias são nutrientes para o nosso corpo e ajudam a manter a parede mucosa do intestino grosso intacta, livre de pólipos e câncer. Os ácidos graxos também funcionam como um anti-inflamatório para evitar que o nosso sistema imunológico reaja exageradamente e cause problemas como alergia, asma e doenças autoimunes.

Como podemos obter esses organismos em nosso sistema?

O primeiro contato com esses organismos começa no parto – pelo menos durante um parto “natural” ou vaginal. Enquanto o bebê luta no canal do parto, ele está ingerindo o microbioma da mãe e adquirindo sua primeira inoculação de micro-organismos saudáveis e necessários. Quando é amamentado, o bebê recebe outros organismos bons através do leite materno. Esta é uma razão pela qual os bebês nascidos de parto vaginal têm muitas vantagens — como o menor risco de alergias, asma e obesidade —à medida que crescem.

Esperamos que, com este post, você tenha uma ideia melhor do que significa o microbioma. Se você ler sobre medicina, ouvirá muito mais sobre essa palavra no futuro. Em um dos nossos próximos posts, contaremos como você pode ajudar ou prejudicar seu microbioma e o papel dos prebióticos e probióticos. Fique ligado.

Para encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, vá até a Procuramed.com

Leia também na ProcuraMed:

O que há de novo na batalha contra o HIV/Aids?

Por que os EUA estão proibindo sabonetes antibacterianos

Esta postagem também está disponível em: Inglês