aumenta expetativa da vida HIV positivo

Aumento de expetativa de vida para pessoas com HIV positivo

Até a descoberta dos coquetéis antivirais, em meados dos anos 1990, ser diagnosticado com HIV era praticamente uma sentença de morte. Anos depois, já é possível que uma pessoa jovem tenha uma vida quase normal – é o que aponta pesquisa que acaba de ser publicada no jornal médico britânico The Lancet HIV.

Os pesquisadores acompanharam a história médica de mais de 88.000 homens e mulheres de 1996 a 2010. Eles queriam ver como a expectativa de vida dessas pessoas HIV positivas mudou ao longo dos 14 anos do estudo. As conclusões foram que, com tratamento e monitoramento constante, ter o HIV quase pode ser considerado como uma doença crônica, como diabetes.

O coquetel HIV melhorou

Nos anos 1990, os primeiros tratamentos com coquetéis contra o HIV eram extremos. Várias pílulas precisavam ser tomadas muitas vezes ao longo do dia e da noite. Se o paciente perdia uma das doses, a preocupação era que o vírus HIV poderia se reproduzir rapidamente. Além disso, os medicamentos tinham muitos efeitos colaterais e, não raramente, o vírus passava por mutação, tornando-se resistente a alguns medicamentos.

Felizmente, as drogas melhoraram. Hoje, uma pessoa que utiliza o coquetel chega a tomar apenas uma pílula por dia. Os efeitos colaterais são muito menos frequentes e menos graves, e a chance de o vírus se tornar resistente aos medicamentos também é reduzida.

O estudo divulgado em The Lancet HIV estimou que uma pessoa diagnosticada com HIV hoje viverá cerca de 10 anos mais do que uma pessoa diagnosticada e tratada em 1996. A expectativa de vida de uma pessoa de 20 anos diagnosticada agora é estimada em 78 anos – quase uma vida normal.

Além dos medicamentos melhorados, os médicos agora estão tratando de forma mais agressiva outras doenças que podem ir junto com o HIV, como a hepatite C. Este é outro motivo para a vida útil mais longa dos pacientes. É também dada mais atenção às medidas preventivas, como a cessação do tabagismo.

Pontos importantes para pessoas HIV positivas

Os autores enfatizam que iniciar o tratamento o mais rapidamente possível após o diagnóstico leva a melhores resultados. Infelizmente, muitas pessoas infectadas não sabem que estão carregando o vírus do HIV e acabam iniciando o tratamento muito mais tarde. Por isso, é importante que pessoas em situação de risco sejam testadas regularmente.

Também é importante estar ciente de que, apesar de tratamentos melhores e mais eficazes, ainda não há cura para o HIV. Por isso, a prevenção é fundamental.

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

6 mitos sobre HIV e AIDS

Qual é o melhor momento para começar o tratamento contra o HIV?

Esta postagem também está disponível em: Inglês