Mais Saúde

Qual é a “Dieta da Fertilidade”?

Você já ouviu falar na dieta da fertilidade? Quando pensamos em alimentos que aumentam a fertilidade, muitas pessoas associam com ostras ricas em zinco, ginseng ou mesmo champanhe. Na verdade, nenhum deles é tão eficaz quanto os alimentos que discutiremos hoje. Esta informação sobre o que realmente pode aumentar a fertilidade vem do famoso Nurse’s Health Study (Estudo de Saúde da Enfermeiras).

Os resultados foram publicados pela Universidade de Harvard no livro A Dieta da Fertilidade. O estudo acompanhou cerca de 18 mil mulheres durante 8 anos. Os pesquisadores rastrearam cuidadosamente as dietas e o estilo de vida das mulheres, e os correlacionaram com a probabilidade de terem problemas para engravidar.

Os pesquisadores de Harvard chegaram a algumas conclusões sobre o que os casais podem fazer, em relação à dieta e ao estilo de vida, para maximizar suas chances de engravidar. Aqui está um resumo.

Para fertilidade: o peso normal ajuda muito

Quando a mulher está com baixo peso ou excesso de peso, os ciclos menstruais e a ovulação podem ser afetados ou mesmo parar completamente. Tente manter o peso para entrar na “zona fértil”, com índice de massa corporal normal, de 20 a 24.

Perca o peso gradualmente

Se você, mulher, quer perder peso, faça-o gradualmente. Dietas extremas reduzem as chances de conceber. Seu corpo precisa sentir que você possui alimentos adequados disponíveis antes de permitir que um bebê entre em sua vida.

O homem também deve ter um IMC normal

Em muitos casos de infertilidade, uma causa é um problema com o esperma do homem. Um homem com sobrepeso tenderá a ter níveis mais baixos de testosterona, juntamente com diminuição do esperma. Assim, o parceiro masculino pode precisar perder peso para entrar em sua “zona de fertilidade” também.

Menos proteína animal

O Estudo da Enfermeiras mostrou que os problemas relacionados à infertilidade ovulatória eram até 40% mais prováveis ​​em mulheres que comiam muitas proteínas animais.

Mais proteínas vegetais e gorduras saudáveis

Tente substituir a proteína animal por mais proteínas vegetais, como feijões, legumes, soja, tofu, castanhas, sementes, peixes e azeite. As mulheres que comiam alimentos mais saudáveis, com uma dieta mais baseada em vegetais, apresentaram um risco 66% menor de infertilidade ovulatória.

Menos carboidratos de absorção rápida

Pense também em ingerir menos refrigerantes, pão branco, macarrão branco, doces, biscoitos, bolos, etc.

Mais carboidratos de absorção lenta

Coma pão de trigo e macarrão integrais, legumes, frutas e vegetais. Tudo isso tem muita fibra que atrasa a absorção de carboidratos.

Lácteo de gordura integral diário

Consumir uma ou duas porções por dia de leite integral, iogurte, queijo ou sorvete parece aumentar a fertilidade. A gordura láctea pode estabilizar hormônios reprodutivos.

Evite alimentos processados ​​e gorduras trans

Tente eliminar de sua dieta os alimentos com gorduras trans, assim como os processados.

Consuma alimentos com mais ferro (ou suplementos)

Algumas opções são espinafre, feijão, abóbora, tomate e beterraba. Suplementos de ferro também podem ser uma boa alternativa.

Multivitamínico diário

Especialmente importantes são o ferro e o ácido fólico, que ajuda a prevenir defeitos neurais no desenvolvimento de fetos.

Minimize o álcool

O álcool desidrata, e não é uma boa idéia se você estiver engravida.

Muita água

A água mantém seu metabolismo e sua digestão em movimento, ajuda a manter a fome sob controle e melhora a mucosa cervical para tornar a concepção mais provável.

Claro que nenhuma dessas medidas garantirá a gravidez, mas elas provavelmente vão ajudar. E elas têm mais uma vantagem: vão ajudar você a se manter em forma e a evitar a obesidade!

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Qual o melhor tipo de exercício para grávidas?

Cuidados com o paracetamol durante a gravidez

Qual é a “Dieta da Fertilidade”? was last modified: outubro 11th, 2017 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês