Diminuir consumo de álcool e TPM

Diminuir consumo de álcool pode ajudar a controlar a TPM

A tensão pré-menstrual (TPM) afeta, em um momento ou outro, cerca de 80% das mulheres. É causada por alterações hormonais cíclicas e, felizmente, a maioria das mulheres administra com sucesso seus sintomas. Mas uma pesquisa recém-publicada no British Medical Journal Open sugere uma maneira que pode dar um alívio adicional: diminuir o consumo de álcool.

Os pesquisadores, da Espanha e do Reino Unido, analisaram 19 estudos anteriores que mediram a ingestão de álcool e os sintomas da TPM. Esses estudos envolveram mais de 47 mil mulheres em 8 países. A partir desses dados, os autores estimaram que uma mulher média experimentaria cerca de 3.000 dias de sintomas severos da TPM durante sua vida reprodutiva.

Resultados: álcool e TPM

Os resultados da pesquisa sugerem que 11% dos episódios de TPM podem ser causados, em grande parte, pelo consumo excessivo de álcool. Sua análise mostrou, no entanto, que nos EUA, e especialmente na Europa, onde as mulheres tendem a beber mais, o álcool desempenha um papel significativo em 21% dos episódios de TPM.

Os autores enfatizam que este estudo foi “observacional” e, portanto, não pode provar causa e efeito. Isso significa que é possível que não seja o álcool que aumenta os sintomas da TPM, mas que algumas mulheres bebem mais por causa dos sintomas da TPM. No entanto, os pesquisadores acreditam que é o álcool que piora os sintomas.

Como o álcool pode piorar a TPM

Os pesquisadores espanhóis e britânicos não sabem ao certo, mas sugerem que o álcool altera o nível de hormônios sexuais esteroides no sangue. Além disso, o álcool pode perturbar o equilíbrio dos neurotransmissores cerebrais, particularmente a serotonina, o que também afetaria o humor e poderia estimular a irritabilidade.

Cortar o álcool?

Para uma mulher que sofre sintomas significativos de TPM, este estudo sugere que a abordagem razoável seria experimentar reduzir o consumo de álcool na época em que os sintomas normalmente começam. Se isso ajudar, ótimo. Se não, e se os sintomas são significativos, cortar o álcool completamente por um mês pode valer um julgamento.

O álcool pode não ser um fator

O estudo europeu mostra que, embora a diminuição do álcool ajude algumas mulheres, para a maioria delas reduzir o consumo de álcool provavelmente não ajudará.

Outras medidas que podem ajudar:

-Diminuir açúcar (como refrigerantes) e /ou cafeína

-Não fumar

-Fazer 30 minutos de caminhada rápida ou exercício aeróbico por dia

-Minimizar a ingestão de sal (para diminuir inchaço)

-Dormir o suficiente

-Tentar diminuir o estresse

– Comer mais grãos integrais, frutas e vegetais

– Comer alimentos ricos em cálcio e vitamina D

– Se necessário, usar pílulas anti-inflamatórias, como aspirina ou ibuprofeno

Se estas medidas não funcionarem, fale com o seu ginecologista. Às vezes, medicamentos de prescrição são necessários para alívio sustentado.

Para encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, vá até a Procuramed.com

Leia também na ProcuraMed:

As 4 categorias das ondas de calor na menopausa

DIU pode ser o melhor método contraceptivo?

Esta postagem também está disponível em: Inglês