Mais Saúde

Como a amamentação pode reduzir o risco de diabetes e câncer nas mães

Há muito tempo, médicos suspeitavam que mães que amamentam seus bebês têm menos chances de desenvolver diabetes. A suspeita acaba de ser confirmada por um estudo realizado durante 30 anos, publicado no Journal of the American Medical Association. Outros estudos apontam que a amamentação também reduz o risco de desenvolver câncer de ovário e de mama.

Diabetes e a amamentação

Diabetes é uma doença crônica que aumenta o risco de acidente vascular cerebral, ataque cardíaco, doenças nos rins e olhos, bem como problemas neurológicos, incluindo a doença de Alzheimer. O estudo americano mostrou uma redução no risco de desenvolver a doença de até 48% nas mães que amamentam. E, em geral, quanto mais a mãe amamenta, menor o risco de desenvolver diabetes mais tarde na vida.

O estudo acompanhou 1.238 mulheres ao longo de uma média de 25 anos após darem à luz. Algumas mães foram acompanhadas por 30 anos. A idade média das mulheres no início do estudo era de 24 anos, e nenhuma delas tinha diabetes.

A duração da amamentação é importante

As mães que amamentaram durante 6 meses ou menos mostraram uma redução de 25% no risco de desenvolver diabetes a longo prazo. As mães que amamentaram de 6 a 12 meses apresentaram um risco 48% menor – a mesma redução foi identificada para as mães que amamentaram mais de 12 meses.

Por que a amamentação funciona

Os pesquisadores acreditam que a redução no risco de desenvolver diabetes acontece porque uma mãe que amamenta tem uma composição hormonal diferente (e mais saudável) em seu sangue. Esta mistura hormonal atua sobre o pâncreas, o órgão que libera insulina e diminui os níveis de açúcar.

Basicamente, a amamentação parece ajudar a proteger o pâncreas da mulher de “desgastar” à medida que envelhece. Um pâncreas desgastado produz menos insulina, o que pode favorecer o aparecimento do diabetes.

Amamentação também reduz risco de câncer

Estudos anteriores mostraram outro benefício para as mães que amamentam. Os resultados apontaram que mulheres que amamentam por mais de 12 meses durante a vida (tempo total, não apenas com um único bebê) têm um risco 28% menor de desenvolver câncer de ovário e mama.

Outros benefícios para a saúde

As mães que amamentam também apresentam menor risco de depressão pós-parto, o que pode ser resultado da mistura hormonal mais saudável. Essas mulheres também desenvolvem uma melhor conexão com os bebês.

Outros estudos sugerem que a amamentação leva a um menor risco de desenvolver osteoporose mais tarde na vida. Além disso, as mulheres que amamentam podem ter mais facilidade de perder peso nos primeiros três meses após o parto.

Com todos esses benefícios, você pode entender por que as principais associações médicas de ginecologia e pediatria recomendam o aleitamento materno por um ano.

E os benefícios para o bebê? Nosso próximo post falará sobre isso.

Para encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, vá até a Procuramed.com

Leia também na ProcuraMed:

Qual o melhor tipo de exercício para grávidas?

Cuidados com o paracetamol durante a gravidez

Como a amamentação pode reduzir o risco de diabetes e câncer nas mães was last modified: janeiro 23rd, 2018 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês