ciclos menstruais atleta

Como ciclos menstruais afetam o desempenho de atletas

Depois de te sido surpreendida com uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Rio de Janeiro, a nadadora chinesa Fu Yuanhui voltou a ser manchete quando mencionou que estava com cólicas menstruais durante uma das provas competiu – e que as dores poderiam ter influenciado o rendimento abaixo do esperado.

Períodos menstruais durante competições desportivas têm sido praticamente um tabu na mídia. Mas não deveriam. A chefe da Fundação Esportes da Mulher, Deborah Calúnia Larkin, observa que “é um processo totalmente natural que afeta a metade da população do mundo e, certamente, teve efeito sobre muitos dos atletas no Rio. Por que não deveríamos falar sobre isso? Nenhum de nós estaria aqui se não acontecesse.”

Felizmente, pesquisadores médicos estão começando a olhar para o efeito que os ciclos menstruais podem ter sobre o desempenho das atletas. A Dra. Lynn Rogers é uma das diretoras no Instituto de Reabilitação de Chicago e uma das especialistas que vêm estudando o impacto das flutuações hormonais durante o ciclo menstrual sobre os músculos, ligamentos e sistema nervoso.

Entre os apontamentos dos estudos de Rogers está a relação dos hormônios sobre a rapidez dos movimentos. Durante a primeira parte do ciclo menstrual, quando os níveis de estrogênio são um pouco elevados, os músculos ficam um pouco mais flexíveis. Isso pode resultar em reflexos ligeiramente mais lentos e maior risco de lesões.

Como o estudo não envolveu muitas voluntárias, não ficou claro se as mudanças ocorreram principalmente nos músculos ou no sistema nervoso (nervos e cérebro) que controlam os músculos.

O joelho durante um ciclo menstrual

Rogers observa que há alguma evidência de que as mulheres podem estar em maior risco de certas lesões durante a primeira metade do ciclo menstrual. O joelho teria risco mais evidente, especialmente com o rompimento do ligamento cruzado anterior, o principal da região. Para evitar que isso aconteça, seria interessante que os treinamentos fossem mais limitados durante o período.

Por outro lado, durante a última parte do ciclo menstrual, os níveis de progesterona sobem. Há evidências de que essas elevações podem proteger contra lesões do joelho. Além disso, a progesterona também altera o metabolismo de calor, o que pode levar a algumas mulheres a se sentirem mais quentes e fatigarem com mais facilidade.

Novos desafios

Até agora, o pensamento geral sobre os ciclos menstruais em atletas é de que eles não alterem significativamente o desempenho das mulheres. Apesar de incômodas, as cólicas também não parecem afetar o rendimento – mas é necessário que se façam muito mais pesquisas envolvendo o tema.

Além dessas incógnitas, outras questões irão guiar as pesquisas da Dra. Rogers são os motivos que levam a algumas atletas de elite a terem períodos menstruais irregulares e se a regulação dos períodos com uso de pílulas anticoncepcionais poderia minimizar os efeitos sobre o rendimento das atletas. Acompanharemos os estudos e iremos manter você pode dentro das novidades!

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

As 4 categorias das ondas de calor na menopausa

Amamentação e os benefícios para a mulher

Esta postagem também está disponível em: Inglês