ondas de calor

As 4 categorias das ondas de calor na menopausa

Um dos sintomas da menopausa são os afrontamentos, também conhecidos como ondas de calor. Em geral, acreditava-se que eles ocorriam de maneira constante nos últimos 3 a 5 anos do período menstrual da mulher, e que cessariam depois. Mas um novo estudo aponta que o que acontece não é bem isso. Ao invés de seguir um padrão, as mulheres se dividem em quatro categorias diferentes que descrevem suas ondas de calor.

A descoberta foi feita no Estudo de Saúde da Mulher em Todo o País, realizado nos EUA e que envolveu de 3.302 mulheres. Durante os últimos 22 anos, cada uma delas foi submetida a testes anuais de saúde física, biológica e psicológica. Também foram questionadas sobre a frequência e a intensidade de suas ondas de calor. O estudo foi patrocinado pelo National Institutes of Health (EUA).

Os 4 grupos das ondas de calor 

Início precoce: Mulheres que começaram a ter afrontamentos de 5 a 10 anos antes do último período menstrual. As ondas de calor pararam somente no período final.

Início tardio: Grupo com características opostas às do grupo anterior. As ondas de calor apareceram apenas após o fim do período menstrual e persistiram por alguns anos.

Super Flashers: Os sintomas apareceram precocemente, assim como acontece com o primeiro grupo, mas os afrontamentos continuaram mesmo após o último ciclo menstrual. Em alguns casos, as ondas de calor permaneceram até os 70 anos de idade.

Poucas e sortudas: Chamado de “poucas e sortudas” pelos pesquisadores, um grupo pequeno de mulheres teve ondas de calor em poucas ocasiões durante o último período menstrual, ou não apresentaram sintoma algum.

Curiosamente, cada grupo concentrou cerca de 25% das mulheres. Depois da classificação, os pesquisadores também identificaram outras características comuns em cada grupo.

O grupo de Início precoce era mais propenso a ter mulheres brancas e obesas, enquanto o grupo de Início tardio incluía mais fumantes. O grupo Super Flashers tinha mais mulheres ou que eram negras, ou que consumiam álcool e/ou que estavam em pior estado de saúde. Já as Poucas e sortudas tendiam a ser mulheres asiáticas e em melhor estado de saúde.

Essas características, apesar de comuns, não eram determinantes. Ainda não se sabe mulheres em bom estado de saúde têm mais chances de cair no grupo Poucas e sortudas, mas alguns apontamentos já são possíveis a partir da pesquisa.

O maior valor do estudo, segundo os pesquisadores é que, com a constatação das diferentes categorias, os tratamentos para minimizar os sintomas poderão ser mais assertivos.

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

DIU pode ser o melhor método contraceptivo?

Azeite de oliva extra-virgem pode diminuir risco de câncer de mama

Esta postagem também está disponível em: Inglês