pilates2

O Pilates na prática

Em nosso último post, apresentamos o Pilates, uma excelente maneira de fortalecer os músculos em torno da coluna vertebral, de aumentar a flexibilidade e eliminar os desequilíbrios posturais. Hoje, vamos mostrar como começar um programa de Pilates e em que esta prática se difere da yoga. Primeiro, porém, alguns mitos sobre essa atividade:

pilates2

1) Pilates ajuda a perder peso.

O Pilates não é um programa de exercícios aeróbicos e não queima muitas calorias. Estudos demonstraram que não há nenhuma perda significativa de peso. Por isso, se você quer emagrecer fazendo exercícios, inclua outra atividade, como andar de bicicleta, correr ou andar rápido.

2) Pilates só é bom para as mulheres.

Talvez porque o Pilates não envolva pesos pesados, é considerado mais apropriado para as mulheres. Os homens, no entanto, sofrem tanto de problemas de flexibilidade e postura quanto elas e podem se beneficiar muito com essa prática. Muitos atletas masculinos, como Tiger Woods, Kobe Bryant e David Beckham, são devotos do Pilates. As mulheres, contudo, são beneficiadas ainda de outras formas, como com o fortalecimento dos músculos pélvicos, importantes para a gravidez e o parto, e controle urinário.

3) Necessidade de equipamentos especializados.

É bom ter acesso a um estúdio de Pilates, equipado com grandes molas, barras e polias. Mas muitos dos movimentos podem ser realizados no tapete da academia, caso não haja equipamento disponível.

4) Pilates o tornará mais forte.

O Pilates tonificará o seu abdômen, a região pélvica e a lombar, mas para o fortalecimento total do corpo, é preciso ressaltar braços, ombros e pernas de maneiras diferentes. Para isso, misture o Pilates com a musculação duas ou três vezes por semana.

Você pode encontrar livros e vídeos sobre o Pilates. O melhor, porém, é contratar um professor qualificado para se certificar de que está se exercitando corretamente. O Pilates não é “intuitivo” e, provavelmente, é muito diferente de tudo o que já fez no passado. A prática em um estúdio especializado é o ideal, mas se você não pode pagar pela instrução individual, muitas academias já oferecem aulas em pequenos grupos, com preços mais acessíveis.

O que é importante ressaltar é que tanto na academia quanto em um estúdio especializado, os fundamentos do Pilates são os mesmos: centralização (com foco no núcleo do seu corpo), concentração (atenção a cada músculo usado durante o alongamento e a contração), controle e fluxo (movimentos com o máximo controle e fluidez), precisão (estar ciente de seus movimentos e posicionamento, como uma parte do corpo está alinhado com as demais) e respiração (abrir os pulmões e respirar profunda e corretamente para melhorar seu desempenho).

Algumas pessoas se perguntam sobre as diferenças entre Pilates e yoga. A yoga melhora a flexibilidade do corpo inteiro, sendo, nesse quesito, uma atividade mais completa para ganhar força total. Dependendo do seu estilo, a yoga pode ser mais do que um treino intensivo de queima de calorias. O Pilates ajudará mais no fortalecimento do núcleo do seu corpo e do abdômen do além de corrigir as assimetrias da postura.

O Pilates tem recebido muitos adeptos ao longo de quase cem anos e cresce em popularidade constantemente. Não é uma moda passageira, mas uma ótima maneira de melhorar a força e a flexibilidade do núcleo do seu corpo. Se puder combiná-lo com aulas de aeróbica e musculação, poderá maximizar a sua condição física e sua aparência.

Caso você necessite encontrar um médico, pode fazê-lo em nosso site: www.procuramed.com.

Veja também na ProcuraMed:

O que é o pilates?

 

 

Esta postagem também está disponível em: Inglês