Mais Saúde

Grávidas que exercitam-se protegem os filhos contra o Alzheimer

A prática de exercícios físicos regularmente traz uma série de benefícios para a saúde, tais como: melhora a ansiedade, diminui a barriga e aumento da expectativa de vida. Um novo estudo alemão traz mais um benefício dos exercícios. O estudo constatou que mulheres grávidas que praticam exercícios físicos durante a gestação, diminuem as chances do seu bebê de desenvolverem doenças neurodegenerativas, como Alzheimer, mais tarde na vida.

A pesquisa, publicada no Jornal online The FASEP, mostra que camundongos criados para desenvolver uma doença neurodegenerativa, mais ou menos equivalente à doença de Alzheimer, mostraram menos sinais da doença e maior condição cerebral quando estavam mais velhos, quando suas mães se exercitavam regularmente, se comparado com aqueles cujas mães não praticavam exercícios.

Esta pesquisa fornece uma base racional experimental para os efeitos benéficos de estímulos comportamentais experimentado pela mãe grávida que afetam o estado da doença de um filho ainda não nascido. Alterações epigenéticas (alterações na expressão de genes e proteínas causadas por outros mecanismos que não as mudanças na seqüência do DNA) fornecem um mecanismo mais provável pelo qual as mães podem ter transferido a sua própria experiência de comportamento para seus descendentes.

“Uma melhor compreensão das vias subjacente pode oferecer novo tratamento e /ou estratégias de prevenção para a doença de Alzheimer e trazer mais conhecimento sobre a relação fascinante entre cérebro e comportamento”, disse a médica e pesquisadora responsável pelo trabalho, Kathy Keyvani, do Instituto de Patologia e Neuropatologia do Hospital Universitário de Essen na Alemanha.

Para fazer essa descoberta, Keyvani e seus colegas acasalaram camundongos machos que expressavam uma forma mutante do gene APP encontrada em alguns pacientes com Alzheimer, com camundongos saudáveis do sexo feminino. Após o desmame, os filhos saudáveis e os “Alzheimer-doentes” forma mantidos em gaiolas-padrão por cinco meses. Os cérebros de camundongos foram examinados para sinais da doença pouco tempo depois. Os camundongos “Alzheimer-doentes”, cujas mães correram em uma roda de exercício durante a gravidez tinham menos placas Beta-amilóide, placas de tamanho menor, menos inflamação e estresse oxidativo, e uma rede vascular melhor de funcionamento do que aqueles cujas mães não se exercitaram.

Além disso, os camundongos cujas mães correram na roda também mostraram um aumento da regulação de moléculas de plasticidade-relacionada, estes são indicadores para mais e melhores conexões entre as células nervosas.

Leia também: Alimentação materna e os efeitos no desenvolvimento dos filhos

Grávidas que exercitam-se protegem os filhos contra o Alzheimer was last modified: junho 17th, 2016 by