Como diferenciar a dor boa da dor ruim

Dores pós-treino? Como diferenciar a dor boa da dor ruim

Sabe aquela frase que se escuta muito em academias, “no pain, no gain” (sem dor, sem ganho)? No levantamento de peso, até certo ponto, isso é verdade. Uma certa quantidade de dor indica reparação e crescimento muscular. Mas há dores boas e más, e é bom saber a diferença.

É interessante que o exercício cause um pequeno dano aos nossos músculos para que eles fiquem maiores. Quando levantamos pesos e vamos além do que nossos músculos estão acostumados, causamos micro rasgos nas fibras musculares. À medida que estes rasgos se reparam nos dias seguintes, a fibra muscular torna-se ligeiramente mais forte e maior. Durante esse processo, é normal sentir o que os treinadores chamam de “dor muscular de início tardio” ou “dor muscular tardia”.

Enquanto dor, queimação ou fadiga em nossos músculos após um treino é um bom sinal, também há dores que indicam que, em vez disso, causamos alguma lesão que levará mais tempo do que o processo típico de reparo. Isso é frequentemente sinalizado por uma dor “ruim”, que nos diz que precisamos descansar mais ou, em alguns casos, procurar ajuda médica.

Dores de treino “boas” vs. “más”

BOA

Dor muscular desaparece após 48 horas

Dor é sentida igualmente em ambos os lados do corpo (uma dor apenas em um lado indica que você pode ter ferido esse lado)

Desconforto que se sente como uma queimadura ou fadiga

Dor localizada no músculo em si, e não em uma articulação

O desconforto ocorre nos músculos que você exercitou (por exemplo, se você fez abdominais, mas são suas costas que doem, isso é um mau sinal)

MAU

Dor aguda ou penetrante

Dor dentro de uma articulação

Dor que irradia em um membro ou está associada a fraqueza, formigamento ou dormência (indicando lesão em um nervo)

Dor que não desaparece nem melhora após 48 horas

Dor sentida apenas em um ângulo particular durante um movimento

Dor só de um lado (quando você exercitou ambos os lados igualmente)

Dor em uma área em que você não trabalhou

Dor associada a rigidez ou inchaço

Dor quando uma articulação estala

Tratamento para dores “boas”

Normalmente você não precisa de nenhum tratamento para dores boas, apenas o tempo. Mas durante o período de dor, você não deve colocar esse músculo sob mais estresse. Você pode se exercitar, mas evite estresse nessa área. O gelo (não o calor) pode ser útil em qualquer momento do processo. Considere um medicamento anti-inflamatório, como aspirina ou ibuprofeno. E continue movendo levemente a articulação ou membro que está dolorido, para evitar que se torne rígido, o que pode causar lesões posteriores.

Se você tem uma dor “ruim”

Quando a não melhora com o tempo ou piora, isso significa que você deve procurar a atenção de um bom treinador ou de um médico. O mesmo se a dor interromper suas atividades diárias normais ou acordar você durante o sono. A dor causada por lesão nervosa ou dor nas articulações que não melhora também indica que você deve procurar ajuda médica.

Para evitar ferimentos

Um leve aquecimento pode ajudar a prevenir lesões. Se você estiver fazendo um exercício e sentir alguma dor aguda ou uma dor em uma área em que não esteja trabalhando, pare e converse com um treinador. Aprenda como seu corpo reage ao estresse do exercício e ouça o que ele está lhe dizendo.

Se você teve problemas no passado, comece mais devagar e com 1/3 a menos do peso que acha que deveria usar. Exercícios de peso corporal, como flexões, podem ser melhores que pesos. Enfatize seus músculos de core. Não ter ganho sem dor é verdade, mas apenas uma certa quantidade de dor significa que você está fazendo certo!

Para encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, vá até a Procuramed.com

Leia também na ProcuraMed:

Por que a corrida é um ótimo exercício para as mulheres?

O exercício extremo tem um perigo, e ele se chama “rabdomiólise”

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Category : Fitness