Mais Saúde

Estudos indicam que pets fazem bem ao coração

Em 19 de maio, a revista Circulation, da American Heart Association (AHA), publicou os resultados de seu “meta-estudo” sobre ter cães e gatos e a saúde do coração. Com isso, emitiu sinal de positivo sobre o conceito de que a posse desses animais de estimação, especialmente de cachorros, parece contribuir com um sistema cardiovascular mais saudável.

No “meta-estudo”, a AHA examinou, cuidadosamente, dezenas de estudos anteriores para chegar à sua conclusão geral. Em um deles foram avaliados 48 corretores do mercado de ações estressados e hipertensos.

Os corretores foram, inicialmente, submetidos à medicação anti-hipertensiva e, depois, divididos em dois grupos aleatoriamente. Nenhum deles possuía pets, mas, para a pesquisa, a metade deles adotou um cão ou gato e a outra metade, não. Após seis meses, os dois grupos foram comparados.

Os 24 corretores que adotaram um animal de estimação formaram um bom vínculo com seus animais e relataram ficar mais calmos quando se deparavam com eventos estressantes no trabalho. Fisiologicamente, o grupo dos que possuíam bichos de estimação apresentaram níveis mais baixos de pressão arterial e dos batimentos cardíacos, além de menores taxas de hormônio do estresse no período avaliado.

Alguns estudos da AHA examinaram o “risco de morte”, nas pessoas que já tinham algum tipo de doença cardíaca foi detectado um risco até quatro vezes menor de morrer do que elas que não tinham um bichinho de estimação.

Além do risco menor de mortalidade, os donos de pets parecem desfrutar dos seguintes benefícios para a saúde cardiovascular:

Parte do benefício deriva do fato de que os donos são praticamente obrigados a sair de casa, especialmente, para andar com o cachorro. Contudo, o melhor ganho parece ser o de ter sempre um companheiro (“o melhor amigo do homem”) ao redor da casa, o que por si só deve ser uma medida antiestresse.

A AHA concluiu que “a posse de animais, particularmente a posse do cão, pode ser razoável para a redução do risco de doença cardiovascular”. E a vantagem é particularmente boa às pessoas que já têm pressão arterial elevada ou doença cardíaca.

Se você desejar comprar um animal de estimação, pesquise antes de adquiri-lo para verificar se a espécie é apropriada para a sua situação familiar, para sua moradia e estilo de vida.

Não compre nem adote um animal difícil de tratar em casa. Por exemplo, moradores de apartamentos se dão melhor com animais de pequeno porte e, se você é do tipo que passa pouco tempo na residência, o gato torna-se uma opção melhor que o cão.

Pesquise o criador também, peça os nomes das pessoas que compraram pets no passado e questione se o animalzinho permanecerá saudável ao longo dos anos.

Raças diferentes têm diferentes personalidades, e o seu nível de estresse não deve aumentar com a posse de um pet. Assim, procure raças mais calmas e mais fáceis de educar.

Finalmente, considere castrar o cão ou gato, que venha a adquirir, e evite problemas em potencial. A castração, em muitos casos, torna os animais mais calmos e, além disso, tende a aumentar os anos de vida deles (até dois anos).

Precisa encontrar um(a) médico(a)? É rápido e simples! É só entrar em nosso site: www.procuramed.com

Veja também na ProcuraMed:

*Pets beneficiam a saúde humana

*Crianças com cachorros em casa adoecem menos

 

 

 

Estudos indicam que pets fazem bem ao coração was last modified: junho 17th, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês