cooper photokeratitis

Fotoqueratite: queimadura de sol no olho

Há duas semanas, Anderson Cooper, correspondente internacional da CNN News (EUA), realizava filmagens em um barco na costa portuguesa. Oito horas depois, ele acordou com uma “dor excruciante nos olhos” e afirmou ter ficado efetivamente cego durante as 36 horas seguintes.

cooper photokeratitis

Ele estava sofrendo de “fotoqueratite”, que é, basicamente, uma queimadura nos tecidos delicados da parte externa do globo ocular – a córnea e a conjuntiva. Anderson disse que estava surpreso porque permaneceu no barco por apenas duas horas e era um dia nublado! Como isso pode acontecer?

Se Anderson soubesse algo sobre fotoqueratite, saberia que a água é um fator de risco adicional, pois, como areia, reflete os raios ultravioletas (UV) do sol sobre seus olhos. A neve é ainda muito pior, devido à alta refletividade, e provoca a conhecida “cegueira da neve” em esquiadores que não usam óculos de proteção.

Anderson disse que era um dia de ventania, também um fator de irritação para o olho externo de superfície. Isso combinado com a dispensa do uso de óculos de sol não surpreende obter uma fotoqueratite como resultado.

Muitas pessoas pensam que não é preciso usar óculos de sol quando o dia está nublado. Segundo a Organização Mundial de Saúde, nuvens densas oferecem, geralmente, níveis menores de exposição aos raios UV, mas, “nuvens claras ou finas têm pouco efeito e podem, até mesmo, aumentar os níveis dos raios ultravioletas por causa da dispersão. Não se deixe enganar por um dia nublado ou por uma brisa fresca!”.

Não é apenas a córnea e a conjuntiva que estão em risco. De acordo com a Academia Americana de Oftalmologia, a exposição crônica ao sol, sem a proteção de óculos de sol adequados, pode levar à catarata precoce, bem como à degeneração macular. Algumas pessoas, especialmente aquelas expostas cronicamente ao vento, assim como ao sol, irão desenvolver pigmentos amarelados nada atraentes na superfície externa do olho (pterígio) e, a partir da exposição de longo prazo, poderá desenvolver até mesmo um câncer.

O melhor tratamento é a prevenção, e isso significa usar óculos de sol. Mas, escolha-os com sabedoria:

1)  A cor ou a escuridão dos óculos de sol não são tão importantes. O único fator crítico é o grau de proteção UVA e UVB. A melhor maneira de saber com certeza se uma marca de óculos de sol é boa, é verificar se ela possui a etiqueta de certificação: “100% de proteção UVA-UVB” ou similar. Compre em uma loja de confiança!

2)  Evite óculos vendidos por camelôs. Normalmente, não têm proteção UV adequada e podem aumentar os danos aos seus olhos, sendo piores do que não usar nenhum óculos de sol. Isso ocorre porque a lente escura permite que, ao abrir a íris, os raios UV penetrem ainda mais em seus olhos.

3)  Os óculos que envolvem todo o olho são melhores e protegem mais contra os raios UV que entram pelas laterais, bem como do vento.

Felizmente, Anderson Cooper, como quase todos os pacientes com fotoqueratite, recuperou a visão. No entanto, com o uso inteligente dos óculos de sol de boa qualidade, em dias ensolarados ou nublados, você não terá de se preocupar com seus olhos pelo menos! E não se esqueça de que as crianças precisam de proteção para os olhos externos tanto quanto os adultos!

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Esta postagem também está disponível em: Inglês