sabonete

EUA poderão proibir sabonetes antibacterianos

Todos nós fomos educados a lavar as mãos para matar as bactérias e evitar a propagação de infecções. Por isso, muitas pessoas são atraídas — e só podem comprar — por sabonetes com o rótulo “antibacteriano”. Nós os compramos e usamos, acreditando que, assim, estamos fazendo o melhor para a nossa família.

sabonete

No entanto, a maioria das pesquisas feitas a partir da última década tem mostrado que o mais saudável é evitar esse tipo de sabonete. Ao invés deles, recomenda-se usar os sabonetes comuns.

Nos Estados Unidos, grupos de consumidores estão agindo para conseguir uma proibição federal da substância triclosan – um químico antibacteriano comumente adicionado aos sabonetes.

Uma pequena quantidade de triclosan é absorvida pela corrente sanguínea a cada vez que é usada. Os consumidores ativistas afirmam que essas substâncias químicas têm efeitos colaterais a longo prazo e que tais sabonetes antibacterianos não são mais eficazes do que os regulares.

O sabonete antibacteriano movimenta uma indústria de bilhões de dólares e os fabricantes garantem que seus produtos são bons e seguros. Mas a agência americana que regula o setor, a Food and Drug Administration (FDA), tornou-se cética em relação ao tema e, em dezembro de 2013, decidiu que os fabricantes de sabonetes antibacterianos têm um ano para apresentar provas científicas de que o triclosan é seguro e comprovar que seus produtos são realmente eficazes. Caso contrário, terão de remover a substância dos produtos comercializados.

A razão pela qual o triclosan não elimina mais germes do que o sabonete comum é a sua baixa concentração em produtos feitos para o consumidor. Para uso em hospitais, o sabão com triclosan pode ter um melhor desempenho, considerando que a FDA não tem planos para remover a substância de quaisquer produtos hospitalares.

Algumas pesquisas concluíram que o sabonete com triclosan é superior aos comuns. Mas os sujeitos desses estudos usaram esses produtos hospitalares mais fortes, lavando as mãos durante 30 segundos cada vez, porém, poucas pessoas fazem isso no mundo real.

Um dos efeitos colaterais do triclosan a longo prazo é a possível perturbação do sistema endócrino (hormonal). Estudos em animais sugerem que o triclosan pode estimular a puberdade precoce, reduzir a fertilidade e até mesmo promover certos tipos de câncer.

Em segundo lugar, a ampla utilização de produtos químicos como o triclosan leva à chamada “resistência bacteriana”. Quando as bactérias são expostas a doses baixas de agentes antibacterianos, durante um longo período de tempo, sofrem mutação (alteração), de modo que os agentes antibacterianos perdem a eficácia.

Na vida real, isso significa que quando nós realmente precisamos de um antibiótico para atuar em nosso organismo (por exemplo, quando tomamos a amoxicilina oral), o antibiótico não funcionará tão bem porque as bactérias se tornarão mais fortes e tentarão sobreviver com produtos químicos antimicrobianos encontrados em quase todos os lugares.

Alguns fabricantes de sabonete antibacteriano estão vendo a escrita na parede e começaram a remover o triclosan de seus produtos. Vários países europeus já restringiram o uso da substância em produtos para o consumo.

Você pode estar à frente da curva de cuidados de saúde ao ler as letras pequenas dos sabonetes e cosméticos dos quais faz uso e evitar aqueles com triclosan. Opte por produtos naturais.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Veja também na ProcuraMed:

Pimentão lidera lista de vegetais com mais agrotóxicos 

Gonorreia versus antibióticos: quem vai ganhar?

Esta postagem também está disponível em: Inglês