Mais Saúde

Estudo revela que cirurgia não é a única forma de curar apendicite

O que vem à sua mente quando alguém recebe o diagnóstico de apendicite? Praticamente todo mundo pensa que a única cura é a apendicectomia, e feita o mais rapidamente possível. Mas essa prática de mais de 100 anos começou a ser questionada.

Cada dia mais médicos afirmam que a maioria dos casos de apendicite sem complicações pode ser tratada com sucesso apenas com o uso de antibióticos. O estudo mais recente com essa defesa foi feito na Finlândia e publicado nesta semana no Journal of the American Medical Association.

Participaram do estudo 530 pacientes com idade entre 18 e 60 anos e que apresentaram quadro de apendicite não complicada. Eles foram divididos aleatoriamente em dois grupos: metade foi submetida a cirurgia enquanto a outra metade foi tratada apenas com antibióticos.

O grupo que não passou por cirurgia recebeu antibióticos ainda no hospital, por via intravenosa, por três dias. O tratamento continuou na casa dos pacientes por mais uma semana, com antibióticos de uso oral.

Todos os pacientes submetidos a cirurgia foram curados. Dos que foram tratados apenas com antibióticos, 75% foram curados por completo durante o experimento. Os 25% restantes necessitaram de operação para a cura completa.

Com o estudo, os autores chamaram a atenção para os casos que realmente necessitam de operação – os chamados casos com complicações, que incluem rompimento do apêndice, abcesso no local da infecção ou quando há uma pedra dura (chamada de apendicólito) bloqueando o apêndice.

Também reforçaram a importância de exames para o diagnóstico preciso e a melhor indicação de tratamento. Exames de tomografia computadorizada são suficientes para confirmar o diagnóstico e para garantir se há ou não quadro de complicação. Quando a apendicite é confirmada, mas não há complicação alguma, o estudo recomenda o uso de antibióticos como uma alternativa razoável.

Existem cirurgiões, no entanto, que discordam dessa posição. Eles acreditam que, mesmo que a pessoa esteja aparentemente curada apenas com antibióticos, elas ficariam mais propensas a uma recorrência de apendicite a longo prazo. Defendem que, com a cirurgia, evita-se que o paciente volte a se preocupar com o problema no futuro.

Apendicite atinge cerca de 10% das pessoas em algum momento da vida. Por isso, é bom saber que, em alguns casos, uma cirurgia não é a única opção.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Cirurgias perto do fim de semana podem apresentar mais riscos

Seis fatos sobre o câncer mais comum entre homens jovens

Estudo revela que cirurgia não é a única forma de curar apendicite was last modified: março 14th, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês