cancer amor

Amar e ser amado ajuda na luta contra o câncer

Um fascinante estudo da Universidade de Harvard acaba de ser publicado no Journal of Clinical Oncology, mostrando que, entre as pessoas que desenvolvem câncer, as casadas tendem a apresentar melhores resultados do que as solteiras.

cancer amor

Vamos analisar a pesquisa para verificarmos as possíveis razões de tais conclusões e ponderarmos se o casamento é realmente necessário para obter esse efeito positivo ou se um relacionamento amoroso, ainda que não o matrimônio, pode ser tão benéfico quanto.

A pesquisa foi simples. Entre 2004 e 2008, foram analisados os prontuários de 734.889 pacientes norte-americanos diagnosticados com um dos dez tipos de câncer mais comuns (pulmão, coloretal, mama, pâncreas, próstata, fígado, linfoma, cabeça/pescoço, ovário e esôfago).

Os pesquisadores analisaram a rapidez com que essas pessoas foram diagnosticadas, como foram tratadas e a taxa geral de sobrevivência. Eles compararam os resultados dos casados com os dos solteiras​​, separados, divorciados ou viúvos.

Aqui estão os resultados:

1) As pessoas casadas tiveram melhores resultados para todos os dez tipos de câncer.

2) As pessoas casadas eram diagnosticadas mais cedo, quando o tumor estava em desenvolvimento. Os solteiros eram 17% mais propensos a diagnosticar o câncer quando o tumor já havia evoluído para a metástase, isto é, havia se espalhado para além do local original do cancro.

3) Uma vez diagnosticados, os casados eram 53% mais propensos a receber um tratamento melhor e mais apropriado do que os solteiros.

4) Em relação à sobrevida, o casamento parecia conferir mais benefícios para os homens do que às mulheres. No geral, os homens casados ​​tinham índice de sobrevivência a longo prazo 23% maior que os solteiros. Para as esposadas, o benefício foi menor que o dos homens, embora bastante significativo: taxa de sobrevivência melhorada em 16% em comparação com as solteiras.

Para os pesquisadores, as razões para os casados obterem melhores resultados são:

1) As pessoas casadas foram diagnosticadas mais cedo, provavelmente, porque tinham alguém para “importuná-las” a fazer os testes preventivos (como a mamografia ou o exame de próstata). Os solteiros são mais propensos a não seguir com os exames e a perder suas consultas médicas.

2) A pessoa casada, que desenvolve um sintoma (que ser câncer), tem mais chance de ir ao médico porque tem alguém olhando por ela e estimulando-a a fazer os exames.

3) Durante o tratamento, os casados têm outros olhos e ouvidos para dar-lhes atenção, entender as opões de tratamento e certificar-se de que o sistema de saúde (público ou privado) está cuidando de seus cônjuges corretamente.

4) As pessoas casadas têm mais apoio social, moral e psicológico, razão pela qual têm mais chances de terminar com sucesso um tratamento que pode ser desconfortável e inconveniente. Elas têm alguém para acompanhá-las no tratamento, cuidar delas em casa, verificar se estão comendo e tomando os remédios corretamente, e assim por diante.

Se você é sozinho, este estudo pode parecer deprimente, mas seu autor, o Dr. Paul Nguyen, tranquiliza os solteiros: “Haja o que houver em um casamento, que ajude os cônjuges a viverem mais, inclusive após o aparecimento de um tumor, o fato é que um amigo ou ente querido pode fazer a mesma coisa para qualquer portador dessa doença”.

Assim, os pacientes solteiros podem receber e desfrutar dos mesmos benefícios que os casados, conquanto tenham alguém para ajudá-los durante os períodos difíceis. Poder ser um companheiro de quarto, membro da família, amigo íntimo ou grupo de apoio social (como uma igreja ou grupos de apoio à pessoa com câncer).

Se você é sozinho, é importante buscar ajuda. Não tenha vergonha ou medo, pois sua sobrevivência pode depender desse apoio.

Este estudo também é um despertar para os médicos, que devem estar cientes da importância das redes de apoio para seus pacientes solteiros, e serve especialmente como alerta para os sintomas de depressão.

O Dr. Gregory Mestres, porta-voz da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, conclui que, “para pacientes solteiros, a equipe inteira – enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos – precisa fornecer ajudar e identificar fontes de apoio social”.

Caso você necessite encontrar um médico, pode fazê-lo em nosso site: www.procuramed.com.

Veja também na ProcuraMed:

Oligoelementos e o risco de câncer de pâncreas

Exercícios físicos protegem contra o câncer da próstata

 

 

 

 

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Category : Doenças
Tags :