Mais Saúde

Saúde na Universidade

Por Fidel Queiroz *

Você que já foi ou é um universitário, certamente irá identificar-se com muitos pontos que serão abordardos neste artigo. Quando entramos na Universidade a primeira coisa que escutamos de nossos veteranos ou de profissionais formados é: “A Universidade será o melhor período de sua vida”. Desta maneira vivenciá-lo de forma saudável é essencial, repercutindo posteriormente na vida social e profissional.

A Universidade é um período em que convivemos com vários fatores: Festas, busca por equilíbrio afetivo, pressão competitiva nas provas, indecisão sobre o futuro profissional, distância familiar, dificuldades financeiras, e claro mais festas! Esta é uma pequena amostra dos pensamentos que passam ou algum dia passarão na vida de um universitário.

As estatísticas atuais mostram que 70% dos problemas no mercado de trabalho estão relacionados com problemas pessoais, e pensar que tal acontecimento é fruto do mero acaso seria ingenuidade. Tal realidade é o resultado de um processo crônico, e que se esta reflexão não for feita agora na Universidade, haverá alta probabilidade de no futuro passar por estas situações problemáticas.

Muitos amigos e conhecidos, abandonaram os esportes que praticaram durante toda a vida, aumentaram excessivamente a ingestão de bebida alcoólica, além de uma considerável diminuição na quantidade e qualidade do sono, tudo isso depois que entraram na Universidade.  Em outras palavras começaram a viver a atual “Cultura Universitária”.  A Cultura caracteriza-se por ser um processo dinâmico, o qual possui um mecanismo adaptativo e cumulativo, sofrendo mudanças, traços se perdem outros adicionando-se, tudo em uma taxa de velocidade variável.

Com o intuito de sedimentar uma Cultura Universitária Saúdavel, quebrando o paradigma vigente, se faz necessária a aquisição de conhecimentos saudáveis sobre como melhorar a qualidade de vida, somado com ações diárias que reflitam que a mudança está em prática. O tempo é o recurso mais valorizado, seja por nós estudantes ou por quem já está no mercado trabalho. Por isso é fundamental saber administra-lo de modo eficaz, para que a tão almejada vida saudável seja obtida. Desenvolver um planejamento diário, semanal e anual, é sem dúvida primordial.  Para desenvolver um bom planejamento, uma condição obrigatória é conhecer seu próprio organismo. Todos nós possuímos horário de pico diferente, ou seja, períodos do dia aonde estamos mais ativos, e são nestes momentos que devemos estudar, trabalhar ou fazer um esporte, e deixar para utilizar o Facebook ou similares (para as pessoas que não trabalham utilizando-os), para os momentos em que seu metabolismo está menos acelerado. Não há um horário definido para cada pessoa, você deve encontrar o seu.

Ter uma vida saudável mais do que tudo é ter uma vida equilibrada. Uma vida saudável transcende a concepção de que alimentar-se bem e fazer exercícios físicos regularmente é suficiente. Tal conceito embarca ainda: um trabalho do qual você sinta prazer em realiza-lo, possuir planos ou projetos futuros, possuir bom relacionamento interpessoal, estar bem com a família, realizar atividades culturais (festas, espetáculos teatrais…), contato com a natureza, e aprimorar um lado espiritual independentemente de possuir religião, tudo numa ótica parcimoniosa. A probabilidade de atingir tal objetivo é exponencializada tão quanto for o número de amigos e pessoas a sua volta que compartilham do mesmo objetivo que o seu. Assim ter amigos saudáveis é importantíssimo.

Todos nós temos a capacidade e por seguinte a responsabilidade de transformar o ambiente no qual estamos inseridos em um ambiente mais saudável. Atitudes diárias como: parar de criticar algo sem propor soluções, ser educado e sorridente com todos, mente aberta e flexível com pontos de vista discordantes do seu, interagir com o meio ambiente, transmitem uma energia positiva a qual desencadeia mudanças perceptíveis e sentidas por todos que ali estão ou a quem observa externamente.  Como já disse Confúncio há 2500 anos atrás:  “Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido”.

* Editor de Conteúdo Procuramed

Foto: Wikipedia/ University of Washington

Saúde na Universidade was last modified: janeiro 22nd, 2012 by