Mais Saúde

Saiba como se prevenir contra a bactéria E.Coli

A bactéria entero-hemorrágica (ECEH), uma violenta variante da e.coli causou duas novas mortes na Alemanha. Estas vítimas elevam o balanço da epidemia para 35 mortos, 34 deles na Alemanha e uma na Suécia. A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou os números, e regista ainda um total de 3255 casos confirmados ou com suspeita de terem sido contaminados pela E.coli em 16 países (Alemanha, Dinamarca, Suécia, Áustria, Canadá, França, República Checa, Grécia, Holanda, Luxemburgo, Noruega, Polónia, Espanha, Suíça, Reino Unido e EUA).

O Ministério da Saúde do Brasil recomenda que pessoas em viagem internacional, para tais destinos, não devem comer alimentos crus, sobretudo vegetais e produtos de origem animal, além de terem outras medidas preventivas. Não há nenhuma recomendação de restrição de viagem e é importante seguir as orientações das autoridades de saúde do país visitado.Até o momento, não há registros de casos no Brasil. No entanto, conforme nota técnica divulgada pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, profissionais de saúde (da rede pública ou privada) devem estar atentos a pacientes com histórico de viagem internacional, nos últimos 30 dias, principalmente à Alemanha; e que apresentem fortes cólicas abdominais e diarreia com sangue.

Ainda segunda nota da secretaria, o serviço de saúde deverá coletar amostra de fezes do caso suspeito e encaminhar para a vigilância epidemiológica municipal ou estadual. As autoridades locais de saúde (Secretarias Estaduais e Municipais), além do próprio Ministério da Saúde, devem ser notificadas do caso suspeito em até 24 horas, por telefone, para que a investigação epidemiológica comece.

Nos casos suspeitos, está contraindicado o tratamento com antibióticos e antidiarreicos, medicamentos que podem agravar o quadro do paciente. O tratamento recomendado restringe-se a hidratação e medidas de suporte necessárias, conforme avaliação médica.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério, Jarbas Barbosa. lembra que é fundamental manter hábitos diários de higiene, como lavar as mãos antes das refeições; depois de usar o banheiro e do contato com animais; e antes de preparar, servir ou tocar os alimentos. “E isso deve ser a regra, não a exceção. É muito importante também certificar-se de que o alimento foi feito de maneira adequada, evitando comer em ruas e feiras, locais onde geralmente não se tem segurança quanto à qualidade do preparo”.

Cinco recomendações básicas para consumo e preparo de alimentos
1. Consumir apenas água potável e alimentos bem lavados
2. Manter a limpeza durante o preparo dos alimentos
3. Separar alimentos crus de cozidos (durante o preparo)
4. Cozinhar completamente os alimentos (acima de 70o C)
5. Manter os alimentos em temperaturas seguras

O que é a Escherichia Coli?

A Escherichia coli (E. coli) é uma bactéria encontrada naturalmente no intestino de humanos e animais. A maioria das cepas de E. coli são inofensivas, mas algumas podem causar graves doenças transmitidas por alimentos, como é o caso da E. coli enterohemorrágica (EHEC). Este tipo de E.coli produz duas toxinas, chamadas “verotoxina” ou do tipo “Shiga”. Por isso, a bactéria enterohemorrágica é também denominada de E. coli produtora de verotoxina (VTEC) ou E. coli produtora de toxina Shiga (STEC).

Os principais sintomas da doença provocada pela E. coli enterohemorrágica são cólicas abdominais severas e forte diarréia, inclusive com presença de sangue. Vômitos e febre também podem ocorrer. O período de incubação, isto é, o tempo entre a transmissão e o início do aparecimento dos sintomas varia de três a oito dias. A maioria dos infectados recupera-se em até dez dias.

No entanto, em pessoas mais vulneráveis, como idosos e crianças, a infecção pode agravar-se, levando à Síndrome Hemolítica Urêmica (SHU) – caracterizada por falência renal aguda, anemia hemolítica (decorrente da destruição anormal das hemácias) e trombocitopenia (redução no número de plaquetas, responsáveis pela coagulação do sangue).

A E. coli enterohemorrágica possui diversos sorotipos. Entre eles, o “O157:H7”, bastante conhecido e de relevância para a saúde pública; e o “O104:H4”, um sorotipo raro e que está associado aos casos que vêm ocorrendo na Europa e nos EUA.

Fonte: Ministério da Saúde

Fonte: Agência REUTERS

Saiba como se prevenir contra a bactéria E.Coli was last modified: junho 17th, 2016 by