Mais Saúde

O papel da meditação no desenvolvimento do cérebro

A prática de meditação, vem sendo objeto de estudos científicos nos últimos anos. Hoje falaremos sobre um novo estudo, publicado no periódico Frontiers in Human Neuroscience, relacionado aos efeitos da prática no desenvolvimento do cérebro.

O estudo, realizado pela Universidade da Califórnia, Los Angeles (UCLA), mostrou que praticantes de meditação a bastante tempo tinham maiores quantidades de girificação (dobras na superfície do cérebro), do que pessoas que não meditavam. Uma maior girificação cerebral está relacionada com uma capacidade mais rápida no processamento das informações,  reforço na formação das memórias e na melhoria da capacidade de tomar decisões.

A girificação ou dobragem cortical é processo onde o córtex sofre alterações, criando, assim, sulcos estreitos e dobras chamado sulcos e giros. O córtex cerebral é a camada mais externa do cérebro, e desempenha, entre outras funções, um papel fundamental na memória, atenção, pensamento e consciência.

No estudo, realizado com 50 pessoas praticantes e 50 não praticantes, sendo que cada grupo era formado por 28 homens e 22 mulheres, os pesquisadores utilizaram Imagens de Ressonância Magnética, para avaliar os efeitos da meditação. Os meditadores tinham, em média, 51 anos de idade e todos tinham praticado meditação durante uma média de 20 anos, sendo de vários tipos, tais como, Shamatha, Vipassana, Zen entre outros.

De acordo com a Dra. Eileen Luders, coordenadora do estudo, foi também encontrada uma correlação direta entre a quantidade de girificação e o número de anos de meditação, possivelmente dando mais uma prova da neuroplasticidade (capacidade de se adaptar às mudanças ambientais), do cérebro .

Os meditadores tiveram um aumento nos níveis de girificação em diferentes regiões do cérebro, incluindo a “ínsula”. Luders explica que “A ínsula funciona como um centro para integração autonômica, afetiva e cognitiva. Os meditadores são conhecidos por serem mestres na introspecção e na conscientização, do controle emocional e da auto-regulação, de modo que os resultados fazem sentido de que quanto mais alguém tenha meditado, maior o seu grau de dobra na ínsula”.

Estudos anteriores já haviam descoberto que pessoas que praticavam meditação a bastante tempo, tinham quantidades aumentadas de substância cinzenta e branca no córtex cerebral. A substância cinzenta é composta principalmente por corpos celulares de neurônios, e sua função está relacionada ao processamento de informações, já a segunda contém uma grande quantidade de mielina, uma substância lipídica que ajuda a conduzir os impulsos nervosos atráves dos axônios.

Agora que você já sabe sobre alguns dos benefícios da meditação, que tal utilizar o dia de hoje para começar a meditar e com isso fortalecer seu cérebro. Além de centros especializados, também, há muitos livros relacionados ao tema, bem como informações disponíveis na internet.

A neurologia é a especialidade médica que cuida da saúde do sistema nervoso. Para encontrar um(a) neurologista é fácil e rápido, você pode fazê-lo em nosso site: www.procuramed.com.

Um bom início de semana a todos. Veja abaixo outros artigos produzidos pela ProcuraMed relacionados ao cérebro:

* Frutas vermelhas retardam processo de declínio cognitivo

* Bilinguismo atrasa início do Alzheimer

* Treinamento musical modifica processo de envelhecimento

* Ômega 3 e vitaminas B, C, D e E fortalecem o cérebro de idosos

* Como o Exercício Físico Beneficia o Cérebro

Foto: Getty Images

O papel da meditação no desenvolvimento do cérebro was last modified: junho 17th, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês