Massagem reduz inflamação muscular

Massagem reduz dor e inflamação muscular

Uma massagem após um exercício vigoroso, sem dúvida, é algo que proporciona uma sensação de bem estar.  A ideia de que a massagem auxilia na redução da dor muscular, facilitando o processo de recuperação de uma inflamação muscular, é suntentada, por atletas e profissionais da sáude, há muitos anos. Porém os processos biológicos por trás destes efeitos careciam, até semana passada, de uma explicação científica.

Massagem reduz inflamação muscular
Um novo estudo canadense, publicado 01 de fevereiro na revista médica Science Translational Medicine, mostrou que o músculo massageado teve diminuição citocinas pró-inflamatórias ( TNF-alfa e IL-6), além de apresentar uma maior produção de mitocôndrias (organelas celulares responsáveis pela produção de energia). Os cientistas também concluíram que a massagem tem efeito similar ao observado após o uso de analgésicos e anti-inflamatórios.

O estudo, coordenado por Justin Crane e Mark Tarnopolsky, da Universidade McMaster, do Canadá, acompanhou um grupo de 11 voluntários homens na casa dos vinte anos. Na primeira visita, os voluntários foram submetidos a um exame de biópsia na coxa. O teste consiste na retirada de uma amostra do tecido e nla é possível medir, por milímetro quadrado, o número de fibras musculares com algum tipo de dano muscular. Duas semanas depois, eles fizeram exercícios numa bicicleta por mais de 70 minutos até um ponto de exaustão (quando não conseguiam mais pedalar). Enquanto eles descansavam por dez minutos, um massagista massageou os músculos extensores do joelho de somente uma das pernas. A massagem consistia em diferentes técnicas de pressão e movimento, regularmente aplicadas em processos de reabilitação. Após 10 minutos uma nova biópsia foi realizada, nas duas pernas, e outra 3 horas depois.

Os pesquisadores viram que a inflamação diminuiu na perna massageada. Crane admitiu ficar surpreso que apenas 10 minutos de massagem tivesse um efeito tão profundo, “Não achava que um pouco de massagem poderia produzir uma mudança tão grande, especialmente quando o exercício era tão profundo. Setenta minutos de atividade comparado a dez minutos de massagem: é claramente potente”, disse Crane.

Tarnopolsky avalia que os resultados sugerem que a massagem age sobre a dor muscular pelo mesmo mecanismo biológico que a maioria dos analgésicos, e sobre a inflamação como os anti-inflamatórios, porém com uma grande diferença de não possuir efeitos colaterais e auxilia na recuperação do dano. Para o pesquisar tal método é sem dúvida uma alternativa efetiva.

Segundo os autores, é importante dar validade científica a tratamentos baseados no toque, que são cada vez mais procurados em substituição ou de forma complementar ao atendimento médico convencional. Crane considera que a massagem guarda potencial de ajudar não apenas os atletas cansados, mas também aqueles que sofrem de inflamações relacionadas a condições crônicas, como artrite ou distrofia muscular.

Receber uma massagem a partir de uma massagista profissional é obviamente mais caro do que tomar uma aspirina. Pórem, aprender as técnicas de massagem não é algo complicado, e a partir do momento que um membro da mesma famlía ou do casal aprenda como fazer, este pode ensinar o outro e o custo benefício é extremamente eficaz.

Em algumas países, como por exemplo na Suécia, a prática de massagem é componente curricular é obrigatório em alguns escolas. Isto é extremamente benéfico, visto que não podemos esquecer que a prática da massagem oferece um enorme benefício emocional tanto para quem recebe como para quem aplica, fortalecendo os laços de amizade e respeito entre as partes.

Para encontrar um médico visite o site: www.procuramed.com