Mais Saúde

Responsabilização do ato sexual

Neste próximo sábado, dia 18 de Junho, acontecerão dois eventos conjuntos na cidade de Florianópolis: A Marcha das Vaga e a Marcha da Liberdade. A Marcha das Vaga (em inglês ‘SlutWalks’) tem como objetivo chamar a atenção para a cultura de responsabilizar a vítima por casos de abuso ou estupro.

"Não nos diga como se vestir, diga aos homens para não estuprar"

O movimento nasceu no mês de Maio em Toronto, no Canadá, após um policial ter sugerido em sua palestra,  em universidade local, que as estudantes do sexo feminino deveriam evitar se vestir como “vagabundas” para não serem vítimas de estupro ou outras formas assédio sexual.

Tanto o estupro, quanto outras formas de assédio sexual, geram grandes danos físicos e psicológicos para a vítima e sua família, seja pelo ato em si ou por todo o processo judicial que o segue, podendo facilmente gerar uma longa síndrome de estresse pós-traumático. Outra consequência deste crime, é o  aumento do risco da transmissão do vírus da AIDS, o HIV, além de um grande espectro de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), como a Hepatite B, HPV, entre muitas outras.

O caso deste policial canadense, fere diretamente a autonomia de todas as mulheres, nos remetendo a pensar que mesmo com tantos ganhos para com os direitos femininos, ainda vivemos em uma sociedade, patriarcal e preconceituosa, onde a mulher é vista como uma mercadoria. Podemos evidenciar um tratamento diferenciado entre os sexos quando assunto é trabalho. Os dados na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) 2010, mostram a grande diferença salarial que há entre homens e mulheres, sendo Santa Catarina o estado que lidera este ranking no país. O contracheque em SC, dos homens é, em média, 30,3% superior, e quanto maior a instrução, maior a diferença salarial.

O outro evento no dia será A Marcha da Liberdade. Este evento tem como objetivo unir as pessoas que acreditam na liberdade de expressão, e que lutam para que esse direito seja exercido. O movimento é contra qualquer tipo de discriminação. Ambos eventos, iniciarão com um momento de concentração às 13 h em frente à Catedral – Praça XV, iniciando às 14 h a marcha pela ruas e avenidas da Ilha, com ou sem chuva.

A liberdade de expressão através da manifestação pública, é um direito expresso no Art 5º XVI da Constituição Federal de 1988, onde garanti que: “Todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente”. Mesmo com tal direito garantido por lei, na prática a história é outra. Muitos são os registros de violência por parte dos agentes públicos ou privados contra manifestações, quando tais não são do agrado dos mesmos (ex: manifestações por um sistema de transporte público de qualidade em Florianópolis).

Os manisfestantes das Marchas deste sábado tem agora um novo apoio, que vem diretamente de Brasília. O Supremo Tribunal Federal pronuciou-se, ontem, em apoio a tais manifestações populares, após vários casos de violência praticados no último mês em outras Marchas no Brasil. Para o Min. Celso de Mello ”A polícia não tem o direito de intervir em manifestações pacíficas. Apenas vigiá-las para até mesmo garantir sua realização. Longe dos abusos que têm sido impetrados, e os fatos são notórios, a Polícia deve adotar medidas de proteção”. Já o Min. Marco Aurélio disse que “A liberdade de expressão não pode ser tida como um direito de falar aquilo que as pessoas querem ouvir. Liberdade de expressão existe para proteger as manifestações que incomodam agentes públicos e privados”.

Saiba Mais:

* Facebook Marcha das Vagabundas: CLIQUE AQUI

* Site da Marcha das Vagabundas de Toronto: CLIQUE AQUI

* Vídeo da Marcha das Vagabundas no México: CLIQUE AQUI

* Site da Marcha da Liberdade:  CLIQUE AQUI

* Facebook Marcha da Liberdade Floripa: CLIQUE AQUI

Foto: Agência REUTERS

Responsabilização do ato sexual was last modified: maio 23rd, 2012 by