injeção

Evite a dor…não olhe para a injeção!

Durante nossas vidas experimentamos diversas situações aonde temos que tomar uma injeção. Para muitas pessoas, a simples imagem de uma seringa com agulha já provoca a sensação de medo. Nesse sentido, um novo estudo, publicado na revista Pain, concluiu que a melhor maneira de enfrentar o problema de uma injeção é não olhar para ela.

O estudo, realizado pela Universidade Charité, em Berlim, comprova cientificamente o que muitas mães já sabiam. De acordo com Dr. Daniel Senkowski, autor do estudo, a pesquisa também constatou que a informação que é dada pelo médico antes de uma injeção, pode influenciar na intensidade da dor que o paciente sentirá.

Para chegar a tais conclusões, os cientistas analisaram como voluntários se comportavam ao assistir um vídeo de uma mão sendo picada com uma agulha, um outro onde a mão era tocada com um cotonete, e um vídeo somente com uma mão. Os clipes foram apresentados em uma tela localizada estrategicamente acima da mão dos participantes, dando a impressão de que aquilo acontecia com eles. Enquanto assistiam aos clipes dos vídeos, os participantes do estudo receberam estímulos elétricos dolorosos e não-dolorosos aplicados à sua própria mão.

Os participantes relataram a dor era mais intensa e mais desagradável quando eles viram uma agulha espetando uma mão do que quando viam somente a mão sem a agulha. Além disso, a observação de picadas de agulha apresentou um maior desconforto de dor quando comparado a visualização do cotonete. Para avaliar isso, os cientistas mediram, através da dilatação da pupila, o aumento da atividade do sistema nervoso autônomo.

As expectativas situacionais também influenciaram na intensidade da dor percebida. Antes da estimulação, os participantes foram informados de que tanto a agulha como o cotonete eram mais dolorosos do que a estimulação elétrica não-dolorosa. Os investigadores descobriram que a apresentação dos clipes que eram mais associados com a dor, levaram às experiências mais elevadas de intensidade de dor, do que a apresentação do qu clipe que era menos associada com a dor. Isso mostrou que quando existe uma expectativa de que um tratamento médico provoca a dor, isso pode influenciar na intensidade da dor que o paciente irá sentir.

Senkowski espera que essas descobertas sejam usadas em novas abordagens médicas para ajudar pacientes a lidar melhor com a dor. De acordo com ele, os médicos deveriam fornecer aos pacientes, antes de aplicar a injeção, informações que reduzam a expectativa do nível de dor. Ele ainda afirma que “o estudo fornece a evidência empírica em favor do conselho comum de não olhar para a picada da agulha quando for receber uma injeção.”

Você precisa encontrar um médico? Você pode fazê-lo através do nosso site (www.procuramed.com). É rápido, simples e sem nenhum custo.

Leia também na ProcuraMed:

* Guia com 12 passos ajuda médico a dar más notícias para familiares

Foto: Getty Images

 

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Category : Comportamento