Sol - Um grande aliado da sua Saúde

Por que gostamos tanto de sol?

Não faz sentido: Se a luz do sol causa câncer, porque os seres humanos são tão atraído por ela, reunindo-se em praias ensolaradas durante as férias e ficando na expectativa por sol após um período chuvoso? Para o Dr. David Fisher, chefe de dermatologia do Hospital Geral de Massachusetts, filiado à Universidade de Harvard, tal desejo teria como motivo a produção de vitamina D.

Sol - Um grande aliado da sua saúde

Para Fischer, tal desejo poderia ser um mecanismo de sobrevivência que evoluiu durante milhares de anos para que os seres humanos não tivessem falta de vitamina D, pois a pele, quando exposta à luz solar, produz tal vitamina.

Novas evidências sugerem que o prazer proporcionado pelo sol, que seria igual ao oferecido por um comportamento ou substância viciante, ocorre devido a estimulação do nucleus accumbens, chamado “centro do prazer” do cérebro, com a posterior liberação de produtos químicos do bem-estar como as endorfinas. Sendo assim, isto mostraria que o desejo de absorver os raios do sol vai muito mais além do que a busca de uma boa aparência através do bronzeado.

Mas buscar esse prazer oferecido pelo sol pode ser perigoso. O Dr. Fisher aponta, que a radiação ultravioleta (UV) do sol é “o agente cancerígeno mais onipresente e comum no mundo.” O câncer de pele é a forma mais evitável de câncer, simplesmente, porquê temos conhecimento do que provoca ele: a luz solar. No entanto, apesar desse conhecimento, a incidência de câncer de pele na população está aumentando mais rápido do que qualquer outra forma de câncer.

Cuidados com a pele

Como a incidência dos raios ultravioletas está cada vez mais agressiva em todo o planeta, as pessoas de todos os fototipos devem estar atentas e se protegerem quando expostas ao sol. Os grupos de maior risco são os do fototipo I e II, ou seja: pele clara, sardas, cabelos claros ou ruivos e olhos claros. Além destes, os que possuem antecedentes familiares com histórico da doença, queimaduras solares, incapacidade para bronzear e pintas.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda que todas as medidas de proteção sejam adotadas na ocasião da exposição ao sol: uso de chapéus, camisetas e protetores solares. Também deve ser evitada a exposição entre 10 e 16h (horário de verão). É importante ressaltar que as barracas usadas na praia sejam feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.

Para o uso de filtros solares, é sugerida a reaplicação a cada duas horas. O ideal é que o Fator de Proteção Solar (FPS) seja de, no mínimo, 15.

Evitando a deficiência de vitamina D

Um simples exame de sangue no consultório do seu médico pode determinar se você é deficiente em vitamina D. Diretrizes recomendam 600 unidades internacionais (UI) de vitamina D por dia para todos com idades entre 1 e 70, e 800 UI para aqueles com idade acima de 70 anos.