Cirurgiões homens x cirurgiãs mulheres

Cirurgiões homens são melhores que cirurgiãs mulheres?

Embora a presença das mulheres na medicina tenha aumentado, nas especialidades cirúrgicas ainda há mais homens. Em um estudo publicado em 10 de outubro de 2017 no British Medical Journal, pesquisadores americanos e canadenses descobriram que apenas 23% dos cirurgiões canadenses eram do gênero feminino. Mas na prática cirúrgica, quem tem o melhor desempenho?

O principal objetivo do estudo foi descobrir se os pacientes de cirurgiões homens têm menos problemas pós-operatórios que pacientes de cirurgiãs mulheres. Em dois critérios, os resultados das cirurgiãs femininas foram os mesmos que dos cirurgiões homens. Mas no critério de risco de morte de um paciente dentro de 30 dias após a cirurgia, as cirurgiãs tiveram resultados ligeiramente melhores.

Os pesquisadores avaliaram os resultados de mais de 104.000 cirurgias realizadas em Ontário, no Canadá, entre os anos de 2007 e 2015. Avaliaram especificamente: a porcentagem de pacientes de cirurgiões homens que morreu em até 30 dias após a cirurgia; o percentual que sofreu complicações; e a percentagem recebeu alta, mas foi readmitida por algum problema.

Menor risco de morte com cirurgiãs

Os resultados mostraram que não havia diferença entre cirurgiões homens e mulheres quando se observavam complicações ou necessidade de readmissão no hospital. Porém, o risco de um paciente morrer nos primeiros 30 dias era 4% menor se o procedimento fosse feito com uma cirurgiã mulher.

Estudo prévio com médicas (não cirurgiãs)

Estes resultados são semelhantes aos de um estudo que comparou médicos do sexo masculino e do sexo feminino em tratamento de pacientes idosos. Este estudo, de Harvard, foi publicado em fevereiro de 2017 no Journal of the American Medical Association, e mostrou que os pacientes de médicas tinham risco 4% menor de morte durante o estudo.

Vantagens das mulheres médicas

Os autores de ambos os estudos sugeriram alguns motivos para os melhores resultados apresentados por mulheres. Eles acreditam que as mulheres médicas foram melhores em se comunicar com seus pacientes, o que os faria mais propensos a entender e cumprir as recomendações de tratamento. Eles também apresentaram a teoria de que as mulheres médicas podem colaborar mais com seus colegas e que eram mais prováveis de seguir diretrizes publicadas sobre práticas de melhores cuidados.

Cirurgia mais competitiva

O autor principal do estudo canadense também acredita que, como a cirurgia tradicionalmente é mais dominada pelos homens (mais do que outras áreas da medicina), as mulheres têm que superar barreiras maiores na área para ter sucesso e terminar o treinamento. Este processo tende então a favorecer as mulheres, que se tornam mais competentes para realmente “superar barreiras maiores para governar na sala de operações”.

Quem você deveria escolher?

Uma conclusão desses estudos é que você não precisa considerar o gênero ao selecionar seu médico ou cirurgião. E você certamente não precisa ter medo de ter uma médica ou cirurgiã mulher, uma vez que seus resultados – pelo menos no curto prazo – foram um pouco melhores do que os resultados de um médico homem.

O autor principal do estudo canadense sugere que “você deve selecionar um cirurgião com base no relacionamento que você tem com ele ou ela, o que seu médico de família recomenda e a pesquisa que você faz”.

O principal objetivo do ProcuraMed é ajudar você a escolher o melhor médico para suas necessidades. Facilitamos o processo de pesquisa. Médicos e médicas não são os mesmos, e, fazendo uma pequena pesquisa, é mais provável encontrar o profissional que será o melhor para você.

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Cirurgias perto do fim de semana podem apresentar mais riscos

Conexões sociais melhoram sobrevivência ao câncer de mama

Esta postagem também está disponível em: Inglês