Mais Saúde

Por que bebidas energéticas são uma ameaça ao coração

Bebidas energéticas têm sido consumidas cada vez mais, em especial por jovens que buscam um impulso energético ou vencer o sono – mais do que café ou bebidas de cola. Estudo recentes apontam, porém, que o consumo de bebidas energéticas pode oferecer grande risco, especialmente a crianças, adolescentes e pessoas com pressão arterial ou problemas cardíacos.

A pesquisa mais recente foi publicada no Journal of the American Heart Association. O estudo era pequeno, envolvendo apenas 18 homens e mulheres jovens e saudáveis, mas era bem desenhado e com resultados impressionantes. Os pesquisadores dividiram os voluntários em dois grupos. Um grupo tomou uma bebida energética comercialmente disponível e o outro grupo uma bebida de cola. Cada bebida tinha a mesma quantidade de cafeína.

Pressão sanguínea e alterações eletrocardiográficas

Durante 24 horas após o consumo da bebida, os pesquisadores avaliaram a pressão arterial e os eletrocardiogramas dos voluntários. Os resultados mostraram que o grupo que consumiu bebida energética apresentava uma mudança significativa no seu eletrocardiograma. Eles tinham o chamado “intervalo QT prolongado” de 10 milissegundos (10 um milésimo de segundo) em comparação com o grupo que consumiu bebida de cola. O intervalo QT é uma medida de quanto tempo o ventrículo do coração leva para se preparar para o próximo batimento cardíaco.

Dez milissegundos não soam muito, mas são suficientes para predispor distúrbios do ritmo cardíaco. Em comparação, alguns medicamentos que prolongam o intervalo QT em apenas 6 milissegundos devem conter um aviso cardíaco na bula.

Em relação à pressão arterial, ambos os grupos mostraram um aumento leve, mas o grupo que consumiu bebida de cola voltou à pressão normal dentro de 6 horas. A pressão arterial do grupo que tomou bebidas energéticas, no entanto, permaneceu elevada por mais de 6 horas.

Os pesquisadores concluíram que, uma vez que a quantidade de cafeína em cada bebida era a mesma, as diferenças se devem a outros aditivos na bebida energética – como o aminoácido taurina, guaraná, altas doses de vitamina e altas doses de açúcar, que tornam a cafeína mais forte.

Bebidas energéticas e emergências

Nos últimos anos, foram registradas várias mortes de adolescentes que usavam bebidas energéticas, às vezes em combinação com café ou álcool. Mais de 20 mil pessoas estiveram em salas de emergência nos Estados Unidos em 2011 devido a reação às bebidas energéticas. Muitas delas eram crianças e adolescentes.

Avisos emitidos por grupos médicos

A Academia Americana de Pediatria emitiu uma declaração de que “as bebidas energéticas nunca devem ser consumidas por crianças e adolescentes”. A American Medical Association busca proibir a comercialização de bebidas energéticas para menores de 18 anos.

Os autores do estudo sugerem que as bebidas energéticas devem ser consumidas com cautela por adultos e que devem ser totalmente evitadas por pessoas com doença cardíaca subjacente ou hipertensão arterial. Além disso, misturar bebidas energéticas com álcool é uma má ideia, já que a bebida pode mascarar os efeitos do álcool.

Se você quer encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Uma maneira simples de medir sua aptidão física

Maioria dos hipertensos desconhece sua condição

Por que bebidas energéticas são uma ameaça ao coração was last modified: julho 12th, 2017 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês