petiscos saudaveis

Seis petiscos saudáveis para ver a Copa

Época de Copa e todo mundo acaba comendo aqueles petiscos que fazem a dieta da semana mudar de curso. Para não exagerar nas calorias e manter a saúde, confira seis dicas de petiscos saudáveis – e que combinam bem com cerveja, a bebida oficial do futebol.

petiscos saudaveis

1. Pipoca

Pode parecer surpresa, mas a pipoca está longe de ser uma vilã. O petisco possui mais polifenóis antioxidantes que muitas frutas e legumes. Também é rico em fibras e baixa em calorias (cerca de 30 calorias por xícara). Para garantir todos esses benefícios, é importante ficar de olho no preparo.

A pipoca deixa de ser saudável quando servida com coberturas de açúcar, manteiga ou sal em excesso. Para substituí-los, o melhor é borrifar um pouco de azeite e uma pequena quantidade de sal. Evite as pipocas de cinema, ricas em sódio e gordura saturada. As de micro-ondas também são uma armadilha, já que são repletas de aditivos insalubres.

Pipoqueiras a base de ar quente são uma boa opção para evitar a gordura. Mas também é possível fazer sua própria pipoca saudável de micro-ondas. Basta misturar meia xícara de milho para pipoca com uma colher de chá de azeite de oliva, selar bem em um saco de papel e colocar na potência máxima de dois a três minutos. Evite usar sacos plásticos, que liberam substâncias químicas cancerígenas quando aquecidos. E, se quiser deixar ainda mais light, troque o óleo por uma colher de sopa de água, e aumente o tempo de preparo pra quatro a cinco minutos (até que os grãos estourem por completo).

2. Castanhas

Assim como a pipoca, as castanhas são fonte de fibras e antioxidantes. Mas elas têm um adicional: também são ricas em proteína. O ponto contra é que, embora todas sejam saudáveis, é preciso ficar de olho nas calorias. Pra evitar excessos, a dica é servir em porções menores.

Assar amendoins comprados crus é uma opção econômica. Para quem quer mais requinte, os pistaches são uma boa escolha. E comprar os pistachios com cascas, além de ser mais barato, também ajuda na hora de comer porções menores.

3. Pinhão

O pinhão é um dos favoritos do sul do Brasil e, pra ajudar, está no auge da safra. Eles podem ser vistos como grandes nozes: são ricos em propriedades nutricionais, incluindo antioxidantes, vitaminas e gordura saudável, do tipo monoinsaturada. E, assim como as nozes, eles são ricos em calorias. Para não abusar, basta lembrar que cada pinhão contém pelo menos 20 calorias.

4. Maçãs cortadas e cenouras cruas

Frutas e legumes são sempre uma boa opção de lanche. Maçãs e cenouras cruas também ajudam na hora do desejo por algo crocante. O ideal é usar maçãs orgânicas, sempre que possível, já que essa fruta pode ter resíduo significativo de pesticidas. Mas as tradicionais também podem ser usadas, desde que bem lavadas ou descascadas.

Outra dica são as cenouras cruas. Para quem quer ser mais prático, há as versões mini, que nada mais são que cenouras normais cortadas em formato de miniatura. Para quem quer economizar, basta cortar as cenouras normais em pedaços menores.

5. Batata-doce

Uma alternativa para fugir das batatas fritas e salgadinhos industrializados é a batata-doce. O legume é altamente nutritivo e a melhor maneira de aproveitar seus nutrientes é fazendo-o assado.

O preparo é simples. Basta cortar em tiras longas, sem descascar. Regue com azeite e salpique sal, se achar necessário. Também é possível adicionar outros tempeiros, como o alecrim. Para finalizar, leve ao forno até dourar e regue novamente um pouco de azeite antes de servir.

6. Chocolate escuro

Deixe seus convidados de bom humor com nossa última dica: o chocolate. Apenas certifique-se que é de uma variedade escura, de preferência com teor de 70% ou mais de cacau. Se a porcentagem for melhor, evite – será um doce, e não um alimento saudável.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Leia também no ProcuraMed:

O poder da Castanha-do-Pará

Cabeceadas na prática esportiva podem causar dano cerebral

O “doping” nas Olimpíadas

 

 

 

Esta postagem também está disponível em: Inglês