Mais Saúde

Quase metade da população brasileira está acima do peso

Você leu corretamente… Quase metade da população brasileira está acima do peso! A constatação foi feita a partir dos resultados da última pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2011), promovida pelo Ministério da Saúde em parceria com Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo.

De acordo com os resultados, divulgados ontem, a proporção de pessoas acima do peso no Brasil avançou de 42,7%, em 2006, para 48,5%, em 2011. No mesmo período, o percentual de obesos subiu de 11,4% para 15,8%.  No total foram entrevistados 54 mil adultos em todas as capitais e também no Distrito Federal, entre janeiro e dezembro de 2011.

O aumento das porcentagens de pessoas obesas e com excesso de peso atinge tanto a população masculina quanto a feminina, porém o problema do excesso de peso entre os homens começa cedo, mostrou o estudo. Entre os 18 e 24 anos, 29,4% já estão com o Índice de Massa Corporal (IMC), acima do peso ideal. Já a proporção em homens com diferença etária de apenas 10 anos (idades entre 25 e 34 anos) quase dobra, atingindo 55% da população masculina. Na faixa etária de 35 a 45 anos, a porcentagem alcança 63% dos homens brasileiros.

O envelhecimento também tem forte influência nos indicativos femininos. Um quarto das mulheres entre 18 e 24 anos está acima do peso (25,4%). A proporção aumenta para 39,9% na próxima faixa etária (25 a 34 anos de idade), e mais que dobra entre as brasileiras de 45 a 54 anos (55,9%). O aumento exponencial dos percentuais de obesidade em curto espaço de tempo também é preocupante. Se entre os homens de 18 a 24 anos, apenas 6,3% são obesos, entre os de 25 e 34 anos, a frequência de obesidade quase triplica (17,2%).

Entre os fatores de risco apontados para o excesso de peso estão o alto consumo de refrigerantes (cinco ou mais vezes por semana), carne rica em gordura e leite integral. Mais de 34% dos brasileiros comem em excesso carnes com gordura, 56,9% bebe leite integral (rico em gorduras) regularmente e 69,1% consume feijão cinco ou mais vezes por semana. A pesquisa mostrou qeue que as mulheres comem mais frutas e hortaliças, enquanto os homens comem mais carne com excesso de gordura. Apenas 20,2% dos brasileiros ingere a quantidade recomendada pela Organização Mundial de Saúde de cinco ou mais porções por dia de frutas e hortaliças.

O relatório também apresenta dados sobre a prática de atividades físicas. Os homens são mais ativos: 39,6% se exercitam regularmente. Entre as mulheres, a frequência é 22,4%. O percentual de homens sedentários no Brasil passou de 16%, em 2009, para 14,1%, em 2011. Em 2009, 16% dos homens foram classificados como fisicamente inativos. No entanto, a tendência percebida é de aumento de sedentários com o aumento da faixa etária. Se 60,1% dos homens entre os 18 e 24 anos praticam exercícios como forma de lazer, este percentual reduz para menos da metade aos 65 anos (27,5%). Na população feminina, as proporções são semelhantes em todas as faixas etárias, variando entre 24,6% (entre 25 e 45 anos) e 18,9 % (maiores de 65 anos).

Além disso o estudo também mostrou que houve uma redução na prevalência de fumantes. O porcentual passou de 16,2%, em 2006, para 14,8%, em 2011. Os homens ainda fumam mais (18,1%) do que as mulheres (12%), mas são eles que lideram a redução do hábito: 25% dos homens declararam serem ex-fumantes.

Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o presente estudo retrata os hábitos da população brasileira e é uma importante fonte para o desenvolvimento de políticas públicas de saúde preventiva.  Para o ministro, é necessário continuar investindo em ações preventivas, sobretudo aos mais jovens, sendo também necessário uma maior oferta de produtos industrializados mais saudáveis.

O endocrinologista Bruno Geloneze Neto, coordenador do laboratório de metabolismo e diabetes da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), defende a sobretaxação dos alimentos gordurosos (já realizada na Dinamarca), e subsídios aos saudáveis. Ele também é favorável à restrição à publicidade de comidas obesogênicas. Segundo ele, política semelhante foi aplicada ao tabagismo, com bons resultados.

Para ver a tabela com dados sobre excesso de peso e obesidade, por capital: Clique aqui.

Saiba mais sobre o IMC: O IMC é a razão entre o peso e o quadrado da altura. IMC entre 18,5 e 25 (normal), entre 25 e 30 (com sobrepeso) e acima de 30 (obeso).

Precisa encontrar um médico? É rápido e simples! É só entrar em nosso site: www.procuramed.com

Foto: Getty Images

Quase metade da população brasileira está acima do peso was last modified: maio 9th, 2012 by