Mais Saúde

Propagandas e as Escolhas Alimentares das Crianças

A obesidade deixou de ser um problema de saúde exclusivo de adultos, acontecendo cada vez mais uma grande parcela do público infantil espalhado ao redor do mundo. Com o objetivo de mensurar a importância da publicidade televisiva para com os hábitos alimentares das crianças, pesquisadores do Instituto de Psicologia, Saúde e Sociedade da Universidade de Liverpool, realizaram um estudo onde constatou-se que as crianças que assistiram anúncios de alimentos não saudáveis na televisão, foram mais propensas a que a querer comer alimentos ricos em gordura e alto teor de açúcar.

 

O estudo publicado no início de julho, no Pediatrics Journal, examinou as preferências alimentares de um grupo de 281 crianças, do noroeste da Inglaterra, de seis a 13 anos de idade.

Para fazer tal avaliação, em um primeiro foi mostrado um episódio de um desenho animado popular para as crianças e novamente o mesmo duas semanas depois. Em cada caso o desenho foi precedido por cinco minutos de comerciais, sendo que em um era mostrado anúncios de brinquedos e em outro, principalmente, lanches e fast food. Depois de cada evento as crianças receberam listas de vários itens alimentares, tanto de marca ou sem marca, e foi perguntado o que elas gostariam de comer.

O estudo mostrou que as crianças que assistiram comerciais de alimentos não saudáveis, tinham uma maior probabilidade de escolher estes itens alimentícios. Estas crianças escolheram os itens da lista que apresentavam mais alimentos ricos em gordura e rico em carboidratos, em comparação com as crianças que haviam assistido o anúncio de brinquedos. O estudo também descobriu que as crianças que assistiam televisão por mais de 21 horas por semana, tinham maior probabilidade de serem afetadas pela publicidade de alimentos, do que as crianças que assistiram a uma menor quantidade de televisão. Essas crianças também tinham um índice de massa corporal significativamente maior do que aqueles os espectadores que passavam menos tempo em frente da televisão.

Este estudo vem fortalecer a ideia de que publicidade possui um forte papel na decisão das preferências alimentares e de consumo da sociedade. O estudo destaca o efeito da publicidade para além da marca, através das escolhas infaltis para todos os alimentos não saudáveis, incluindo as marcas que não eram mostrados em anúncios. A diminuição da quantidade de televisão que as crianças e adultos assistem, além de uma regulamentação dos anúncios televisivos, estes passando a serem voltado a alimentos e hábitos saudáveis, são medidas benéficas que devem ser incentivadas e colocadas em prática.

Propagandas e as Escolhas Alimentares das Crianças was last modified: junho 17th, 2016 by