sinus antibiotics

Pesquisa aponta riscos de tratar sinusites com antibióticos

sinus antibiotics

Quantas vezes você foi diagnosticado com sinusite e saiu do consultório com a receita de um antibiótico? As recém-lançadas diretrizes da Infectious Diseases Society of America e da Academia Americana de Otorrinolaringologia colocam este hábito em xeque.

Os antibióticos, muitas vezes, podem trazer mais prejuízos que benefícios ao nosso organismo. Eles costumam causar dores de estômago e podem acabar com as bactérias boas que existem em nossos intestinos (levando, inclusive, a diarreias). Também são comuns efeitos colaterais como erupções cutâneas e reações alérgicas.

O uso prolongado desses medicamentos acaba “selecionando” as bactérias mais resistentes, tornando-as mais fortes e reduzindo a potência dos antibióticos. Assim, quando você tiver uma infecção mais grave, o uso de antibióticos pode não funcionar. Esse excesso, cada vez mais recorrente, tem se tornado um problema de saúde pública.

A maioria das infecções dos seios da face é causada por vírus (que não respondem a tratamentos com antibióticos) que atacam o sistema imunológico após uma infecção respiratória ou um resfriado. O uso de antibiótico nesses casos é considerado apenas se uma infecção do sinus durar mais que 10 dias, sem melhora, ou se os sintomas piorarem.

Para reforçar essas diretrizes, a Academia Americana de Otorrinolaringologia realizou um teste e tratou pacientes com infecção sinusal com placebo (pílula de açúcar). Dentro de uma a duas semanas, 85% dos pacientes melhoraram. Os pacientes que receberam antibióticos ficaram melhores na mesma faixa de tempo.

É claro que existem algumas infecções dos seios da face potencialmente graves e que precisam do uso de antibióticos e cuidados de especialistas. Para estes, fica o alerta: caso você tenha sinusite sem melhora, com aumento da dor ou da febre, piora da dor de cabeça, alterações de visão ou aparecimento de confusão mental, procure um médico imediatamente.

A maioria dos casos, porém, não chegam a esta gravidade e acabam curando sozinhos. Os sintomas podem ser amenizados com a ingestão de bastante líquido e o uso de água salina fisiológica (ou soro fisiológico) para irrigar o nariz e diluir o muco. Fatores alérgicos e ambientais também devem ser tratados.

De qualquer forma, vale o reforço: considere os efeitos colaterais do uso de antibióticos, a possibilidade de reação alérgica e a contribuição para tornar as bactérias mais fortes e resistentes. Pense nisso tudo antes de pedir ao seu médico uma receita de antibióticos.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Como o uso precoce de antibióticos pode levar à obesidade infantil

Gonorreia versus antibióticos: quem vai ganhar? 

Esta postagem também está disponível em: Inglês