Mais Saúde

Pesquisa aponta “fast food” como causadora de asma e eczema

Pesquisadores liderados por médicos da Universidade de Auckland (Nova Zelândia) publicaram, em 14 de janeiro, os resultados de um grande estudo intitulado Estudo Internacional sobre Asma e Alergias na Infância (ISAAC). Nessa pesquisa, eles examinaram a associação entre a dieta e o surgimento do eczema e da asma. Eles descobriram conexões interessantes e fortes.

Os pesquisadores avaliaram a dieta e o histórico médico de 319 mil adolescentes e 181 mil crianças, com idades entre 6 e 7 anos, de 51 países, incluindo o Brasil.

O eczema é uma condição comum, caracterizada pela pele seca, vermelha e escamosa, por manchas na pele e muita coceira. Não se trata de uma ameaça à vida, mas pode ser muito desagradável e inconveniente, e de difícil cura. O eczema é uma doença inflamatória e, em muitos casos, têm uma causa alérgica relacionada a alimentos ou a qualquer outra coisa no meio ambiente. O eczema é uma manifestação do sistema imunológico fortemente ativo – é uma resposta do corpo, demonstrada pela pele, de algo que ele “não gostou”.

A asma também é uma manifestação de uma resposta imunológica anormal a algo nocivo para o organismo. Isso resulta em inchaço e inflamação das vias aéreas de pequeno e médio porte no pulmão, com a respiração ofegante e difícil. A asma pode ser debilitante e, em casos graves, até mesmo fatal. Infelizmente, a incidência de asma em crianças dobrou nos últimos 30 anos. Os fatores ambientais são suspeitos de causar esse aumento.

Na pesquisa da ISAAC, descobriu-se que os adolescentes que consumiam a chamada “fast food”, três ou mais vezes por semana, tiveram uma chance 39% maior de desenvolver asma grave e um risco 70% maior de eczema grave. Para as crianças menores, os riscos de asma grave e eczema foram 27% e 30% maiores respectivamente. As crianças e adolescentes também apresentaram uma maior incidência de rinoconjuntivite alérgica (olhos e nariz inchados com coceira).

Importante também é que o consumo de frutas teve o efeito oposto ao do fast food. As crianças e adolescentes que se alimentaram de frutas, pelo menos, três vezes por semana, apresentaram risco de 10 a 20% menor de eczema, asma e rinoconjuntivite. Assim, o consumo de fast food aumentou acentuadamente as chances de doenças para as crianças, mas comer frutas regularmente funcionou de forma protetora.

Por que o fast food é “pró-inflamatório”, e estimula o sistema imunológico a fazer coisas ruins, e as frutas têm o efeito oposto? Algumas pesquisas têm apontado o alto teor de gordura trans em alimentos rápidos como o provável culpado.

As gorduras trans são consideradas o pior tipo possível de gordura que podemos comer (pior ainda do que as gorduras saturadas). Formam-se quando as gorduras poliinsaturadas são convertidas em ácidos gordos trans durante o processamento de alimentos. Essa é uma das razões do porque é melhor comer alimentos nas formas in natura – e os fast foods são, geralmente, o oposto do natural. Os pratos fast foods são altamente processados para obter máximo sabor a custos mínimos de produção. Entretanto, o custo para a sua saúde é alto.

O autor do estudo, o Dr. Hywel Williams, diz que a mensagem “para ser lembrada” é que você não tem de cortar completamente o fast food de sua vida, mas é melhor manter uma dieta equilibrada, com bastante frutas e menos comida rápida –  no máximo, uma ou duas vezes por semana, em vez de três ou mais. E, embora o estudo tenha sido realizado apenas em crianças, é provável que os mesmos efeitos alimentares sejam encontrados nos adultos também.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Pesquisa aponta “fast food” como causadora de asma e eczema was last modified: junho 17th, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês