Mais Saúde

O que fazer quando a fome é emocional?

Em nosso último post, falamos sobre ortorexia nervosa, que é quando a pessoa se sente culpada em comer algum alimento que não considera saudável. Os distúrbios alimentares, embora possam passar despercebidos muitas vezes, são muito presentes na nossa sociedade. Entre os mais comuns está a “fome emocional”.

Sabe aquela fome que surge quando você está estressado, irritado ou ansioso? Ou quando se sente entediado, sozinho ou deprimido, e acaba surgindo o desejo de comer qualquer coisa para “consolar” esse sentimento? Muitas vezes, os alimentos dessa fome emocional não são os mais saudáveis da geladeira.

Há ainda casos de pessoas com fome emocional que não se dão conta do quanto comem. Em geral, são pessoas que têm dificuldade em manter o peso e acabam colocando a culpa no metabolismo ou na falta de exercícios. A fome emocional é mais comum do que imaginamos e quase todo mundo já passou por ela em alguma ocasião. Ela só passa a ser um problema quando contribui para o excesso de peso ou alguma doença, como diabetes.

Mas como diferenciar a fome física da fome emocional?

A fome física geralmente vem de forma gradual e é possível esticá-la por mais um tempo se você estiver ocupado com outra coisa. A fome emocional, porém, chega como uma vontade súbida e pode ser até por algum alimento específico, como sorvetes, doces, pizza ou cheeseburger.

A fome física é sentida no estômago e pode se manisfestar como um vazio e até com um barulho – o famoso ronco. A fome emocional é centrada na mente e na boca, por isso, é difícil satisfazê-la. Enquanto porções pequenas de comida são suficientes para matar a fome física, a emocional parece não ter fim e costuma vir seguida de sentimento de culpa.

Para evitar esse sentimento e a comida em excesso, aqui vão algumas dicas para domar a fome emocional:

  1. Sempre que sentir a necessidade de pegar algum alimento mesmo sem ter fome física, pense no que está lhe causando esse sentimento. Listar as causas do estresse e da ansiedade pode auxiliar você a encontrar soluções quando estiver tranquilo. Assim, quando a fome emocional chegar, você saberá outros meios de lidar com ela.
  1. Quando a fome emocional bater, tente desviar sua atenção para atividades que lhe acalmem. Ler trechos do seu livro favorito, dar uma caminhada ou até mesmo respirar lenta e profundamente podem ajudar a lhe tranquilizar e a fazer com que essa fome passe.
  1. Outra opção é buscar alternativas para lidar com o estresse diretamente, já que é ele um dos grandes motivadores da fome emocional. Para isso, costumam ser boas alternativas yoga e meditação. Mas se mesmo com essas medidas seu estresse não reduzir, o ideal é buscar ajuda de um profissional.
  1. Não desista no primeiro deslize. Se você se sentir culpado, pode dar início a um ciclo vicioso e acabar comendo ainda mais. O melhor a fazer é manter o foco no que você vai fazer da próxima vez para evitar que ele se repita.
  1. Mantenha as tentações longe. Será mais fácil você resistir ao desejo de comer um doce ou um salgadinho se você não o tiver por perto. Substitua esses lanches por coisas saudáveis, como frutas.

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Ortorexia nervosa: compulsão por alimentação saudável

Qual é a ligação entre exercício e dentes ruins?

O que fazer quando a fome é emocional? was last modified: novembro 18th, 2014 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês