Mais Saúde

Consumo de refrigerantes aumenta o risco de AVC

Novo estudo, realizado por pesquisadores do Instituto de Bem-Estar de Cleveland e da Universidade de Harvard, mostra que o consumo de refrigerantes açucarados, bem como os de baixo teor calórico, está associado a um maior risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC). O estudo, publicado no American Journal of Clinical Nutrition, é o primeiro a examinar o efeito dos refrigerantes sobre o risco de AVC. Por outro lado, o estudo também mostrou que o consumo de café com cafeína, ou descafeinado, diminuiu o risco.

A pesquisa analisou o consumo de refrigerantes de 43,371 homens entre 1986 e 2008, e de 84,085 mulheres entre 1980 e 2008. Durante esse tempo, foram documentados 2.938 casos de AVC em mulheres, e 1.416 em homens. Pesquisas anteriores já haviam ligado o consumo desse tipo de bebida para com o ganho de peso, diabetes, alta na pressão arterial e no colesterol, e doença arterial coronariana.

De acordo com o Dr. Adam Bernstein, autor do estudo, o refrigerante continua a ser a maior fonte de açúcar na dieta, e que a ingestão regular dessas bebidas desencadeia uma reação em cadeia no corpo que pode potencialmente levar a muitas doenças, incluindo o AVC. O pesquisador explica que em refrigerantes açucarados, a carga de açúcar pode levar a um rápido aumento da glicose no sangue e da insulina, podendo assim, ao longo do tempo, conduzir a uma intolerância à glicose, resistência à insulina, e inflamação.

Essas alterações fisiológicas influenciam na estabilidade das placas que causam a aterosclerose e a trombose, que são fatores de risco para o acidente vascular cerebral isquêmico, sendo tal risco maior em mulheres que em homens. Em comparação, o café contém ácidos clorogênicos, lignanos e magnésio, os quais atuam como antioxidantes, podendo assim reduzir o risco de AVC. Quando comparado com uma porção de refrigerante açucarado, uma porção de café descafeinado foi associado com um risco de 10% menor de AVC.

Além disso, os resultados do estudo mostram que homens e mulheres que consumiram mais de uma porção de refrigerante com açucar por dia, tinham taxas mais elevadas de pressão arterial alta, níveis mais altos de colesterol e menores taxas de atividade física. Aqueles que bebiam refrigerante com mais frequência também eram mais propensos a comer carne vermelha e produtos com alto teor de gordura. Homens e mulheres que consumiam refrigerantes de baixa caloria (Zero,Diet ou Light), tiveram maior incidência de doenças crônicas e maior índice de massa corporal (IMC).

O consumo de refrigerantes aumentou vertiginosamente no Brasil ao longo das últimas três décadas. Atualmente, segundo dados do Ministério da Saúde, 29,8% dos brasileiros tomam a bebida no mínimo cinco vezes por semana. Esses resultados reiteram a importância de incentivar as pessoas a substituir os refrigerantes por outro tipo de bebida.

Precisa encontrar um(a) Médico(a)? É rápido e simples! É só entrar em nosso site: www.procuramed.com

Foto: Google.com

Consumo de refrigerantes aumenta o risco de AVC was last modified: junho 17th, 2016 by

Esta postagem também está disponível em: Inglês