refluxo

Azia e refluxo gastrointestinal

É difícil encontrar estatísticas confiáveis sobre como o refluxo gastrointestinal é comum no Brasil, mas a Fundação Internacional de Transtornos Gastrointestinais Funcionais estimou recentemente que, nos Estados Unidos, 44% da população percebem sintomas de azia pelo menos uma vez por mês e 7% percebem os sinais de alerta diariamente.

refluxo

Este é realmente um grande tema, complexo e controverso. Mas, hoje, vamos tratar apenas das questões que poderão trazer alívio, caso você sofra com esse problema!

Por que o refluxo ou a azia ocorre?

Normalmente, há uma barreira, semelhante a uma válvula, que liga a extremidade inferior do esôfago, uma vez que entra no estômago. Esta válvula (no diagrama localizada onde se lê Cárdia)  impede os ácidos estomacais de entrarem no esôfago.

Se há um problema com esta válvula (geralmente, temporário ou intermitente), o ácido pode penetrar no esôfago e danificar o seu revestimento. Às vezes, ocorre de o ácido ir muito mais longe e atingir a garganta, boca e a parte de trás dos seios da face.

Quais são os sintomas?

  • Azia
  • Dor no peito
  • Tosse (tipicamente uma “tosse seca”)
  • Rouquidão
  • Dificuldade para engolir (muitas vezes, sensação de algo “preso na garganta”)
  • Garganta inflamada
  • Mau hálito e danos acídicos para os dentes
  • Sintomas respiratórios de asma, sinusite, pneumonia e até cicatrizes nos pulmões

Muitas pessoas apresentam sintomas apenas na região da garganta e da laringe, como tosse ou rouquidão, e podem não notar a azia em tudo.

Prevenção e tratamento de refluxo

Mantenha o seu peso sob controle. Se você está acima do peso, a gordura abdominal pressiona o estômago, que empurra os ácidos estomacais para cima, para o esôfago e até mesmo partes superiores. Em pessoas com sobrepeso, a perda da “barriguinha” pode em muitos casos aliviar os sintomas de queimação e azia.

Evite roupas apertadas (e cintos) ao redor de sua cintura. Eles podem empurrar a barriga para cima, forçando os ácidos a esse mesmo movimento.

Se você fuma, pare. Fumar relaxa o esfíncter, entre o estômago e o esôfago, de forma que os ácidos podem entrar mais facilmente no esôfago.

Evite fazer grandes refeições, de comer por dois ou (de preferência) coma três horas antes de deitar. Se você tem refluxo, o melhor é comer mais vezes e em pequenas porções ao longo do dia, em vez de duas refeições grandes. Grandes refeições requerem a produção de mais ácido para a digestão. E se você esperar algumas horas entre comer e dormir, seu estômago terá tempo de eliminar a comida e o ácido.

Eleve a sua cabeça. Quando você se deitar para um cochilo ou para dormir, é muito mais fácil para o ácido subir do seu estômago e ir para o esôfago. Evite deitar após as refeições e, à noite, muitas pessoas obtêm alívio com a elevação da cabeceira da cama de um mínimo de 15 cm a 20 cm. Se você tomar esta medida, é importante que faça isso corretamente e não use mais travesseiros (que podem agravar o problema no caso de flexionar seu corpo sobre seu abdômen).

Coloque toda a cabeceira da cama em cima de tijolos ou compre um calço especial, encontrado em lojas de colchão.

Evite “alimentos-gatilho”. Algumas pessoas pioram com o consumo de álcool, alimentos gordurosos, cítricos ou à base de tomate, balas de menta, cafeína ou chocolate.

Corte o seu estresse. O estresse pode ser um gatilho para muitas pessoas e você pode considerar fazer uma caminhada ou atividade aeróbica para ajudá-lo tanto a reduzir o estresse como para manter o peso sob controle.

Medicamentos

Se o estilo de vida não ajuda muito, os antiácidos podem ser um alívio após as refeições e antes de dormir. A primeira linha de medicamentos mais fortes são os bloqueadores H2, como a ranitidina (Zantac). Mas, para serem eficazes, precisam ser tomados antes das refeições. Você pode tentar essa opção, se estiver prestes a consumir uma grande refeição ou qualquer um dos seus “alimentos-gatilho”. A terceira categoria de medicamentos tem, entre os mais potentes, os “inibidores da bomba de próton” (como o omeprazol). Porém, se você tiver de recorrer a essa medicação, consulte um médico para um diagnóstico adequado.

Esteja ciente de que a azia pode não ser resultado do refluxo de ácido – pode ser qualquer outra coisa, até mesmo algo mais sério. Por isso, para qualquer dúvida, consulte o seu médico ou um gastroenterologista, que poderá sugerir novos testes.

No entanto, a maioria das pessoas com refluxo e azia pode administrar eficazmente o seu problema com mudanças simples no estilo de vida e evitar o uso de medicamentos em boa parte dos casos!

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Esta postagem também está disponível em: Inglês