dieta paleo

A Dieta Paleo é indicada para você? Parte 2

Em nosso último post, falamos sobre a Dieta Paleolítica. Ela é a dieta do momento e defende a retomada de hábitos alimentares semelhantes aos de nossos ancestrais da era Paleolítica, há 10 mil anos. Hoje, apresentamos uma lista de prós e contras para que você possa decidir se ela é realmente a mais indicada para você.

dieta paleo

 Os prós

1. Perda significativa de peso

Faz parte da dieta ingerir muitos vegetais, frutas e água. O corte de açúcares e alimentos processados também ajuda na perda de peso.

2. Melhor controle da glicemia e da pressão arterial

Cortar açúcares e sal, aliado ao alto teor de fibras de frutas e legumes, ajuda a diminuir a absorção de carboidratos. O resultado é a ação mais eficiente da insulina em nosso organismo.

3. Eliminação o consumo de alimentos processados

Os alimentos processados são os grandes vilões da alimentação saudável. Em geral, são feitos a partir de alimentos crus aos quais se adicionam produtos químicos e conservantes, responsáveis por realçar o sabor, prolongar o tempo e a aparência dos produtos na prateleira. Esses produtos (entre eles a gordura trans) podem levar a maiores riscos de câncer e doenças cardiovasculares. Assim, eliminando-os da dieta diária, diminuem também os riscos de desenvolver essas doenças. São exemplos desses alimentos o pão branco, batata frita, frios, cereais embalados e queijos artificiais.

4. Melhora a dieta de pessoas sensíveis ao glúten e à lactose

Benéfica pelo simples fato de eliminar o consumo de laticínios e grãos. Assim, pessoas com deficiência de enzimas necessárias para metabolizar a lactose do leite ou com intestinos sensíveis ao glúten encontrado em grãos saem beneficiadas.

 Os contras

1. Baseada em suposições científicas

Os antropólogos não têm certeza se a dieta do homem paleolítico era farta em carne ou se era rica em vegetais e frutas, mas com consumo ocasional de carne. Também não se pode afirmar com certeza que nossos intestinos não se adaptaram às mudanças de alimentação. Além disso, as frutas e os vegetais de 10 mil anos atrás certamente eram diferentes dos que encontramos hoje nos supermercados. Ao longo dos séculos, os produtores têm colhido alimentos diferentes, modificados para durarem mais e terem mais poupa que sementes, o que as deixam mais exuberantes.

2. Excesso de carne vermelha

A Dieta Paleo permite que se coma carne vermelha sem restrições. Em pessoas mais propensas, essa mudança alimentar pode levar ao aumento dos níveis de colesterol. Além disso, o excesso de carne vermelha também tem sido associado a riscos mais elevados de cancro. Por outro lado, os adeptos da dieta ingerem grandes quantidades de frutas e vegetais frescos, que podem anular os efeitos negativos da carne.

3. Dieta cara e ruim para o meio ambiente

Carnes tendem a ser o elemento mais caro de uma dieta. O custo não fica apenas no bolso, mas também nos impactos ambientais. A criação de gado contribui significativamente para o aumento dos gases do efeito estufa, além de exigir muitos recursos naturais. Para se ter um quilo de carne para comercialização, estima-se que sejam utilizadas 10 vezes mais água e 20 vezes mais energia que para a produção de um quilo de trigo.

4. Elimina alimentos saudáveis e agradáveis ao paladar

Adotar a Dieta Paleo exige uma mudança radical nos hábitos alimentares. Alguns alimentos agradáveis, como sorvetes e massas, passam a ser proibidos. Quando a restrição é muita, há a chance de se desenvolver compulsão. Há também a possibilidade de que, na primeira escapada, sejam desenvolvidos hábitos alimentares ainda piores que os que se tinha antes da adoção da dieta. Além disso, a eliminação de laticínios, por exemplo, pode levar à deficiência de cálcio, assim como deixar de comer grãos e feijão pode lhe privar de fontes ricas em fibras e proteínas.

Como decidir?

Depois de saber alguns prós e contras, é preciso considerar sua condição atual de saúde. Se você tem níveis elevados de açúcar, por exemplo, a Dieta Paleo pode ser uma aliada – mas o mesmo resultado pode ser conseguido se você cortar açúcares e aumentar a ingestão de fibras. O mesmo acontece com pessoas intolerantes à lactose ou ao glúten, que podem tanto adotar a dieta quanto simplesmente deixar de ingerir alimentos que contenham esses componentes.

Se você optar pela dieta, informe seu médico para que ele possa ficar de olho em alguns marcadores no sangue, como os níveis de lipídios. Se você simpatizou com os princípios, mas não quer ser tão radical, também é possível chegar a um meio termo saudável: elimine os alimentos processados, os açúcares e o sal, mas não exagere no consumo de carne. Sua saúde e o meio ambiente agradecem.

Dieta paleolítica: a volta aos alimentos do homem das cavernas (Época)

Se você precisar encontrar um médico em qualquer lugar do Brasil, use o nosso site principal: www.procuramed.com.

Leia também na ProcuraMed:

Os benefícios do chocolate escuro para as artérias

Como a derrota de um time pode afetar o desejo sexual

Esta postagem também está disponível em: Inglês